17 de nov de 2008

VirtualBox no Ubuntu

O VirtualBox possui uma versão OpenSource Edition. Além dela existe a versão comercial onde paga-se uma licença de uso, mas se for para uso pessoal e não comercial não é preciso pagar nada. Eu já falei dela aqui em artigos passados e acho que não preciso repetir tudo novamente.
A versão OpenSource ou apenas OSE é equivalente a versão comercial com exceção dos seguintes itens que estão presentes apenas na versão comercial:
* Suporte a USB (mas você pode compartilhar arquivos entre a anfitriã e maquina virtual nem necessitar do suporte a USB)
* USB over RDP
* iSCSI initiator
Nos outros itens, ambas as edições são exatamente iguais.

Clique aqui e veja o passo-a-passo.

7 de nov de 2008

Agora vai???

Chinese Democracy em pré-venda no Brasil, lançamento oficial será no dia 27.

Depois de mais de uma década de muita expectativa, enrolação, especulação e mesmo descrença, Axl Rose finalmente resolveu lançar Chinese Democracy, primeiro álbum do Guns'n Roses em mais de quinze anos.
O último lançamento de inéditas do grupo foram os álbuns Use Your Illusion I & II, de 1991, já que The Spaghetti Incident, de 1993 era só de covers.

Já alvo de críticas (tanto positivas quanto negativas), o álbum, que, como sempre, vazou na Internet há alguma semanas e já foi lançado lá fora, se encontra em pré-venda no Brasil.

Triste fim para uma banda que tinha tudo para ser a maior de todas.

O Cavaleiro das Trevas entra em pré-venda

O DVD duplo de Batman - O Cavaleiro das Trevas está em pré-venda. O disco 2 é exclusivo de extras e tem como informações especiais os vídeos "Gotham Revelada: A Criação de uma Cena", "O Cavaleiro das Trevas: Seqüências em IMAX", "As Notícias de Gotham", galerias e trailers. O lançamento é previsto para 8 de dezembro, mas quem adquirir agora ganha uma caneca do filme.

Imaginem o quanto irá vender nesse final de ano. Já vou garantir o meu.

16 de out de 2008

Desigualdade de renda aumentou no mundo e pode piorar com a crise, diz relatório

Apesar do emprego em todo o mundo ter crescido 30% entre 1990 e 2007, a desigualdade de renda aumentou e pode piorar com a atual crise financeira. A informação é de relatório da OIT (Organização Internacional do Trabalho), sediada em Genebra, na Suíça.

Dois terços dos 85 países estudados tiveram aumento na desigualdade entre 1990 e 2000, segundo o relatório. Até 2005, o período viu uma disparidade de 70% entre os rendimentos de 10% dos assalariados mais ricos e os 10% mais pobres.

Leia na íntegra aqui.

É inacreditável que ainda precisam de relatórios e estudos para ver isso. É algo óbvio, pelo amor de Deus, parem de perder tempo com esses estudos que não levam a lugar algum e façam alguma coisa.

Veja o novo vídeo de Pamela Anderson

pamela

26 de set de 2008

Famosos vão a eventos do iPhone em busca de telefone grátis

DIÓGENES MUNIZ - Editor de Informática da Folha Online
FELIPE MAIA - da Folha Online

Na esperança de levar para casa um iPhone 3G de graça, dezenas de famosos compareceram ontem (25) aos eventos das operadoras de telefonia móvel para o lançamento do produto da Apple no país. A Vivo realizou um coquetel seguido de jantar no shopping Iguatemi, enquanto a Claro convidou seus VIPs para comes e bebes no Terraço Daslu (ambos na zona sul de SP).

Algumas celebridades voltaram para casa falando no iPhone. Quem não teve a mesma sorte torceu o nariz.

No foyer do Terraço Daslu, ficou difícil distinguir se o evento era de TVs de tela plana ou aparelhos celulares. Havia apenas quatro iPhones 3G disponíveis para "degustação" no ambiente --mesmo número de televisores. Entre segurar o aparelho e se servir de ravioli de mussarela de búfala, os presentes não hesitaram em ficar com a segunda opção. Na festa do Iguatemi, jornalistas e convidados se perguntavam se tinham acertado a festa: ou seja, se estavam naquela que daria celulares grátis.

Cantora Preta Gil compareceu à festa da operadora Vivo no shopping Iguatemi, em São Paulo, em busca de um brinde: iPhone 3G

Cantora Preta Gil compareceu à festa da operadora Vivo no shopping Iguatemi, em São Paulo, em busca de um brinde: iPhone 3G

Também ocorreram eventos do iPhone no Rio e em Brasília.

"E eu lá preciso dessa p... [iPhone 3G]? O meu é esse daqui, ó", disse o apresentador global Chico Pinheiro, exibindo seu BlackBerry. Pinheiro foi um dos primeiros a ir embora do evento da Claro. O jornalista, que chegou a ser barrado na entrada da Daslu, procurou o presidente da operadora, João Cox, para um "desabafo".

No shopping Iguatemi, a cantora Preta Gil dizia que este é o momento certo para ter um iPhone 3G --que custa, a partir de hoje, entre R$ 899 e R$ 2.599 no país. Ela estava com medo ter de comprar a versão anterior do aparelho e precisar desbloqueá-lo. Questionada sobre que modelo --de 8 Gbytes ou 16 Gbytes-- iria comprar, a cantora soltou uma gargalhada. "Comprar? A gente não é hipócrita, né?", disse, confiante no brinde após a festa. "Eu quero o G3", cravou, invertendo as letras da sigla 3G, que indica internet móvel em alta velocidade.

Sacolas em riste, Cazé Peçanha, Sarah Oliveira e Marina Person posam para foto ao lado do presidente da Claro no Terraço Daslu

Sacolas em riste, Cazé Peçanha, Sarah Oliveira e Marina Person posam para foto ao lado do presidente da Claro no Terraço Daslu

Funcionários e ex-funcionários da MTV compareceram em peso ao Terraço Daslu: Sarah Oliveira, Marina Person, Cazé Peçanha, Marco Bianchi, Lobão e Max Fivelinha circularam pela butique de luxo. "Espero que alguém me dê um [iPhone]. Sabe, eu não sou do grupo que pede. Jamais!", disse Fivelinha. "Só espero que não façam sorteio", ponderou o músico Lobão ao lado de Bianchi. O humorista rebateu, comparando o evento a outro tipo de confraternização. "Isso tá parecendo festa de criança, que tem aqueles balões grandes cheios de doce e fica todo mundo louco pra estourar e ganhar alguma coisa", analisou.

Até meia-noite, no entanto, nada de iPhone para quem foi à Daslu. O burburinho era de que a organização daria o celular aos famosos depois do evento, para não interferir nas vendas que começariam ali mesmo. Questionado, o presidente da Claro desconversou. "Pode ter tido um ou dois famosos que ganharam o iPhone, mas essa não é a nossa prática", disse.

Dizendo-se uma "macmaníaca", a cantora Zélia Duncan admitiu não ter conseguido esperar: ela usa um iPhone desbloqueado há "vários meses", assim como "a metade do Brasil". Ganhou o aparelho, da antiga geração, de um amigo e resolveu desbloquear. "Vou ganhar um iPhone 3G hoje, tudo indica", disse a artista, durante o coquetel no shopping Iguatemi --o aparelho viria mais tarde, "servido" entre os pratos do jantar.

O tema do desbloqueio, entretanto, mostrou-se traumático para alguns artistas. Depois que o marido, Rodrigo Hilbert, contou que Fernanda Lima usa o celular para tirar fotos dos filhos e mandar por e-mail, a apresentadora se negou a dizer como conseguiu o telefone. "Não posso falar nada. Tenho medo de falar. Não sei nem se é algo ilegal. Pula essa [pergunta]", disse. Depois, mais calma, confessou ao pé de ouvido do repórter que comprou o celular em um site de leilões na internet.

Presidente da Claro, João Cox, conversa com o apresentador Chico Pinheiro enquanto é observado pela arquiteta Bya Barros, na Daslu

Presidente da Claro, João Cox, conversa com o apresentador Chico Pinheiro enquanto é observado pela arquiteta Bya Barros, na Daslu

O repórter Rafael Cortez, do programa "CQC", da Band, fez a linha "desencanado com a tecnologia". "Meu celular é f..., do tempo das cavernas", disse, mostrando um aparelho Nokia cheio de riscos. Comprou o primeiro computador apenas em março do ano passado, relata, mas agora não consegue "ficar em um lugar sem acesso à internet". E planeja usar mais produtos tecnológicos a partir da "evolução financeira" que está conseguindo agora no "CQC".

Mesmo com ampla divulgação na mídia sobre as funcionalidades do iPhone e a iminência de ganhar um aparelho, participantes da festa do Iguatemi pareciam desconhecer as reais funções do celular. "Eu quero ver os Jetsons", animou-se a atriz Taís Araújo. "Como assim, os Jetsons?", questionou o repórter. "Você não lembra do desenho, em que eles viam as pessoas enquanto estavam conversando?", retrucou a artista, completando: "Me disseram que o aparelho tem uma câmera incrível." Não tem. A câmera do telefone da Apple registra imagens em 2.0 megapixels --resolução baixíssima perto dos concorrentes Samsung, Nokia e LG.

Rafael Cortez, do programa

Rafael Cortez, do programa "CQC" (Band), exibe resignado seu velho celular durante festa de lançamento do iPhone 3G no Iguatemi.

Marqueteiros da Vivo e da Claro tiveram a mesma idéia para emplacar notinhas na imprensa: à meia-noite, entregaram um iPhone 3G àquele que seria o primeiro comprador oficial do produto no país. No evento da Claro, na Daslu, uma mulher subiu ao palco para receber o produto das mãos do apresentador Marcelo Tas. O anúncio da concorrente foi feito em uma loja real da Vivo, em outro shopping da zona Sul, o Cidade Jardim. O presidente da operadora, Roberto Lima, apareceu em um tablado improvisado para avisar que um médico ginecologista era o "primeiro comprador".

É algo assustador o que acontece nesse país.

O bando de otários que foi nessa porra de festa só para tentar levar na faixa um celular que se pode comprar por menos da metade do preço que será vendido no país.

Aquela velha história de quanto mais se ganha, menos se gasta parece que nunca sai de moda.

Agora, o pior não é o bando de otários nas festas, e sim o bando de otários consumidores que já fizeram o cadastro antecipadamente para comprar essa merda de aparelho que nem envia MMS para você ter uma idéia.

Acoooooooooooorrrrrrrrrrrrrrrddddddddddddddeeeeeeeeeeeeeeemmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm.

12 de set de 2008

BSOD Repeatedly Strikes Nine Inch Nails Concerts

BSODs have been plaguing NIN on their current tour. In fact, one has been popping up on the giant display behind them at just about every concert. So what's the deal? Will Trent be forced to fire his tech guy? Hardly. The truth is that it is all part of the act. The BSOD pops up for a split second near the end of the song The Great Destroyer, and there are videos after the break from two separate concerts to prove it. We all know Trent is a Mac man—so this is obviously a subliminal jab at Windows. I'm sure the nerds in the audience get a kick out of it.

15 de ago de 2008

Congresso retém 68 propostas anticorrupção

Diversos Projetos de Lei (PLs) que tratam da punição e prevenção à corrupção, classificados como prioritários, dispensam exigências regimentais para serem incluídos na “Ordem do Dia”, mas, mesmo assim, chegam a esperar quase 15 anos para serem votados. Caso estes projetos fossem aprovados, o Brasil contaria hoje com, pelo menos, mais 68 instrumentos legais de controle da corrupção. Clique aqui para ver os projetos e em que situação se encontram.

Por favor, continuem lendo a putaria que é esse país.

Veja os principais casos de corrupção após a redemocratização

image

14 de ago de 2008

Conte até três. Até dez. Conte até cem.

13 de agosto de 2008, 22:43 - direto do Webinsider.

Em situações extremas, mesmo que você tenha frieza, seu emocional fala mais alto, preparando-o para as duas atitudes limites possíveis frente ao perigo: lutar ou correr.

Por Eduardo Zugaib

Cena 1: alguém resolve tirar um sarro de você em uma festa, constrangendo-o e ultrapassando a tênue linha que separa o engraçado do ridículo;

Cena 2: numa reunião da empresa, ao apresentar informações que custaram a ser levantadas, alguém entra na conversa e maldosamente diminui a importância do seu trabalho;

Cena 3: Você está dirigindo. O trânsito pára. Você, que guarda certa distância do carro da frente, freia tranqüilamente. Antes do carro parar totalmente, surge um barulho de pneu queimando logo atrás, dando tempo apenas para você olhar no retrovisor, fechar os olhos e preparar-se para a… cabrum!

Mesmo que você tenha a frieza de um campeão mundial de xadrez, ao menos uma taquicardia você sente. Seu emocional fala mais alto, preparando-o para as duas atitudes limites possíveis frente ao perigo: lutar ou correr.

Em situações assim, é provável aparecer alguém sugerindo que você conte até dez. Acredite: isso não é uma simpatia, uma crendice tola. O nosso cérebro possui dois hemisférios: o direito, que abriga nossa capacidade emocional e o esquerdo, que cuida da racional. Em situações de tensão, a tendência que temos de agir com a emoção é grande.

Sobrecarregamos o lado direito do nosso cérebro, exigindo dele respostas rápidas demais. Como ele é obediente, fará de tudo para dar a resposta, trabalhando caoticamente, sem se preocupar se com isso estará acionando nossos desejos mais obscuros, nossas mais paixões mais animais.

O resultado? Falamos o que não gostaríamos de ter dito, reagimos expondo nossas fragilidades, isso quando não partimos para agressões verbais ou físicas. Crimes passionais não levam este nome à toa. O contar até dez visa reestabelecer o equilíbrio entre os dois lados do cérebro, lembrando ao hemisfério esquerdo que ele também deve “entrar no assunto”.

Contar é uma capacidade racional, que figura entre as habilidades do lado esquerdo do cérebro. Em situações tensas, o contar age como um sistema de resfriamento, que nos ajuda a perceber a situação por uma ótica mais completa. Se contar até dez não resolve, experimente até cem. Assim, além de dar ao cérebro a chance de trabalhar por completo, você evita que todos os alguém acima saiam por aí, dizendo que você perdeu a cabeça.

12 de ago de 2008

Estudo antecipa crise do petróleo para 2010

Arnild Van de Velde
De Amsterdã, Holanda

Um estudo publicado por diretores do Programa de Energia da Clingendael International (CIEP, sigla em inglês) antecipa a anunciada crise do petróleo em cinco anos. Não em 2015, mas já em 2010, diz o relatório, os primeiros efeitos de sua escassez se farão notar. A empresa holandesa é um instituto de relações internacionais com reconhecidos trabalhos nas áreas de pesquisa, capacitação e informação. Nos Países Baixos, o CIEP é endossado por órgãos do governo e grupos empresariais de grande porte.

Em 2010, diz o estudo, a produção mundial soferá uma baixa de 7 a 11 milhões de barris/dia. A quantidade corresponderia a dois terços do consumo diário, só nos Estados Unidos. O estudo contesta também uma previsão do banco de investimentos Goldman Sachs. Baseando-se em determinadas condições até 2015, o banco estimou o preço do barril, já em 2009, entre US$200 e US$250. Os autores do relatório da Clingendael prevêem contudo que o custo do barril não deve superar US$110, no primeiro ano da crise (segundo eles, 2010), ou seja uma queda de quase 50% em doze meses.

Em entrevista a Terra Magazine, a diretora da CIEP, Coby van der Linde, esboça o cenário que prevê e comenta a importância da Rússia - um parceiro econômico ainda visto com alguma reserva pelos vizinhos europeus - na crise. Otimistas, empresas do setor confiam no próprio empenho em pesquisa e extração. Estes investimentos, diz Coby van der Linde, " são caminhos que, me parece, o Brasil está sabendo explorar".

Hot Female Fighters

sexy

11 de ago de 2008

39 filmes dos Trapalhões vão enfim sair em DVD

Direto do Omelete.

Até hoje os filmes dos Trapalhões não tinham atenção digna do mercado de DVDs. Saíram alguns, em formatos distintos, e muitos ficaram esquecidos. A Europa Filmes começa a corrigir isso em setembro. Serão lançados 39 título do grupo - 5 filmes por mês, comercializados separadamente, com preço sugerido de R$ 14,99 cada.

Tudo bem que o Blu-ray está aí e todos esses discos já saem obsoletos, mas já é alguma coisa. Confira a lista:

O Trapalhão e a Luz Azul (1999)
Simão o Fantasma Trapalhão
(1998)
O Noviço Rebelde
(1997)
Os Trapalhões E A Árvore da Juventude
(1991)
Uma Escola Atrapalhada
(1990)
Xuxa e Os Trapalhões em O Mistério de Robin Hood
(1990)
A Princesa Xuxa e os Trapalhões
(1989)
Os Trapalhões na Terra dos Monstros
(1989)
O Casamento dos Trapalhões
(1988)
Os Heróis Trapalhões - Uma Aventura na Selva
(1988)
Os Fantasmas Trapalhões
(1987)
Os Trapalhões no Auto da Compadecida
(1987)
Os Trapalhões no Rabo do Cometa
(1986)
Os Trapalhões e o Rei do Futebol
(1986)
Os Trapalhões no Reino da Fantasia
(1985)
A Filha dos Trapalhões
(1984)
Os Trapalhões e o Mágico de Oróz
(1984)
O Trapalhão na Arca de Noé
(1983)
O Cangaceiro Trapalhão
(1983)
Os Trapalhões na Serra Pelada
(1982)
Os Vagabundos Trapalhões
(1982)
Os Saltimbancos Trapalhões
(1981)
Os Três Mosquiteiros Trapalhões
(1980)
O Mundo Mágico dos Trapalhões
(1981)
O Incrível Monstro Trapalhão
(1980)
O Rei e os Trapalhões
(1979)
O Cinderelo Trapalhão
(1979)
Os Trapalhões na Guerra dos Planetas
(1978)
O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão
(1977)
O Trapalhão no Planalto dos Macacos
(1976)
Simbad, O Marujo Trapalhão
(1976)
Os Trapalhão na Ilha do Tesouro
(1975)
Robin Hood, O Trapalhão da Floresta
(1974)
Aladim e a Lâmpada Maravilhosa
(1973)
Ali Babá e os Quarenta Ladrões
(1972)
Bonga, O Vagabundo
(1971)
Dois na Lona
(1968)
Adorável Trapalhão
(1967)
Na Onda do Iê-Iê-Iê
(1966)

Os discos começam a sair em 22 de setembro. Os cinco primeiros são: Cinderelo Trapalhão, O Casamento dos Trapalhões, Os Trapalhões e a Árvore da Juventude, O Mundo Mágico dos Trapalhões e A Princesa Xuxa e os Trapalhões.

Sexy Tattoos

sexy_tattoos

1 de ago de 2008

Exame e Atento - ABSURDO

Empresa de call center Atento é a maior empregadora privada do país

| 15.07.2008
Publicidade

EXAME Vamos estar contratando...
A empresa de call center Atento foi a maior empregadora do país entre as companhias privadas no ano passado

Desde 1989, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) figura no topo da lista das empresas que mais empregam no país dentre as 500 relacionadas em MELHORES E MAIORES. Em 2007, a estatal chegou a 108 824 empregados. Nas demais posições desse ranking vêm ocorrendo uma troca intensa de posições. Uma análise dessas mudanças deixa clara uma tendência: a do crescimento da força de trabalho das companhias do setor de serviços. O melhor exemplo disso é a empresa de call center Atento, que pertence ao grupo espanhol Telefônica. No ano passado, a Atento empregou 67 032 pessoas. Com isso, ocupou o segundo lugar da relação de maior empregadora do país e o primeiro dentre as companhias privadas (a campeã de 2006 foi a rede varejista Pão de Açúcar).

40 novos empregados por dia em 2007
A média de contratados no ano passado da Atento superou em 25% o número de 2006. A maior parte dos funcionários ocupa o cargo de teleatendentes, com salários a partir de 400 reais. O crescimento da força de trabalho ocorreu por causa dos 16 novos contratos de prestação de serviço fechados em 2007. Na relação de principais clientes da empresa encontram- se multinacionais como a GM e a Procter&Gamble.

1,2 bilhão de chamadas telefônicas
Este foi o total de contatos realizados pelos funcionários da Atento em 2007 a serviço dos clientes do call center. Vendas, recuperação de crédito e assistência técnica estão entre os trabalhos mais executados pelos funcionários da companhia.

60 milhões de reais
Com esse investimento, a empresa de call center construiu no ano passado a unidade do bairro do Belenzinho, na zona leste da cidade de São Paulo. É a maior hoje das 27 centrais da Atento no país, tendo capacidade para 6 000 funcionários. Cada um dos empregados passa por uma média de 80 horas de cursos de preparação por ano. Em 2007, o total investido pela Atento com treinamento foi de 10 milhões de reais.

Tive que expressar minha revolta com a revista.

E pude perceber que todos (que opinaram) concordaram comigo:

Comentários

  (total: 5)
Publicado por Hádila Nogueira (21/07/2008 - 12:26)

Já trabalhei na Atento, e posso afirmar que a mesma não investe nos funcionários, na unidade Belo Horizonte o salário pago é absurdamente baixo, apenas R$350,00, e quando algum funcionário reclama, os coordenadores dizem que quem não estiver satisfeito pode pedir demissão. A rotatividade é muito grande porque ninguém suporta tanta pressão com um salário abaixo do mínimo e nenhuma perspectiva.
Publicado por Éderson Luiz de Oliveira (21/07/2008 - 11:11)

Pela entrevista, fica a impressão que a Atento, é uma empresa que ajuda no desenvolvimento do Brasil, mas esqueceram de relatar o número de processos trabalhistas, a inércia no desenvolvimento dos seus profissionais, a desmotivação pelos beneficios fornecidos, o sistema de trabalho desestimulande. Muito imparcial esta reportagem, o título deveria ser " Maior multinacional sangue-suga.
Publicado por lidison gomes dos santos (20/07/2008 - 00:33)

Realmente caro Giulianno. Como disse além de empregar muito por ter alta rotatividade ( o que não causa impacto na realidade do desemprego) é uma empresa onde a grande maioria de sua mão de obra terceirizada que acaba precarizando o trabalhador. E por ser como tal, suas empresas clientes despedem seus funcionarios para contratar os terceirizados da atento. Reportagem que é difícil de digerir.
Publicado por lidison gomes dos santos (20/07/2008 - 00:33)

Realmente caro Giulianno. Como disse além de empregar muito por ter alta rotatividade ( o que não causa impacto na realidade do desemprego) é uma empresa onde a grande maioria de sua mão de obra terceirizada que acaba precarizando o trabalhador. E por ser como tal, suas empresas clientes despedem seus funcionarios para contratar os terceirizados da atento. Reportagem que é difícil de digerir.
Publicado por Giulianno de Lollo (18/07/2008 - 18:42)

Muito triste ver que a Exame dá crédito para uma empresa como essa. Salário inicial de R$ 400,00 e regime escravo de trabalho. Contrata 40 pessoas por dia pois ninguém aguenta a pressão e falta de perspectiva lá dentro, por isso há muita rotatividade de pessoas. A verdade é uma só, ninguém faz milagres, não venham me dizer que essa empresa é boa para se trabalhar

30 de jul de 2008

Chernobyl

home_pict1

20 anos

E o Brasil com sua Angra 3. É o fim do mundo mesmo.

16 de jul de 2008

Delegados da Operação Satiagraha foram obrigados a deixar o caso, diz TV

Direto da Folha Online

Os três delegados que atuaram na Operação Satiagraha, da Polícia Federal, --Protógenes Queiroz, Karina Murakami Souza e Carlos Eduardo Pelegrini Magro-- foram obrigados a deixar as investigações sobre a suposta prática de crimes financeiros, informou nesta terça-feira o "Jornal Nacional", da TV Globo.

Segundo o telejornal, os delegados informaram ao juiz federal Fausto de Sanctis, da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, e ao procurador da República em São Paulo, Rodrigo De Grandis, que foram obrigados pela direção da PF a deixar as investigações.

Segundo a PF, os delegados deixaram as investigações por motivos pessoais. Queiroz, responsável pelo caso, por exemplo, deixou o inquérito para realizar um curso obrigatório para todos os delegados que já têm pelo menos dez anos de serviço.

Segundo a ADPF (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal), o curso superior de polícia é obrigatório principalmente para quem vai mudar de categoria, passando de delegado de 1ª classe para delegado especial, a última entre as quatro graduações na função.
O curso, de acordo com a entidade, tem uma fase presencial, que começa a partir da próxima semana. A assessoria da ADPF informou que o presidente da associação, Sandro Torers Avelar, também vai participar das aulas.

A assessoria do Ministério Público Federal em São Paulo não confirmou se o procurador recebeu o ofício enviado pelos delegados. Na assessoria da Justiça Federal em São Paulo ninguém foi localizado pela reportagem para comentar o assunto.

O ministro Tarso Genro (Justiça) disse na noite desta terça-feira que é uma "coincidência" o afastamento de Queiroz das investigações e o fato de o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, tirar férias neste mesmo período.

Tarso deu a entender ainda que Protógenes havia concluído seu trabalho na Operação Satiagraha e que o afastamento do delegado não causará prejuízos às investigações. "O inquérito está praticamente, 99,9%, terminado", afirmou o ministro, após reunião no Palácio do Planalto.

Críticas

A operação comandada por Queiroz foi criticada pelo presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Gilmar Mendes, pelo fato de a prisão dos investigados, surpreendidos em suas casas na madrugada do último dia 8, ter sido mostrada na TV.

Mendes classificou a ação da PF de 'espetacularização' também pelo uso de algemas nos presos.

Por conta dos questionamentos do presidente do STF, o ministro Tarso Genro (Justiça) pediu a abertura de sindicância para apurar se houve abusos de agentes da instituição durante a operação. O ministro reconheceu abusos na operação.

Em entrevista publicada no domingo na Folha, o ministro da Justiça defendeu o trabalho de Queiroz. "Protógenes fez um trabalho brilhante de natureza técnica, independentemente de ter cometido equívoco ou não", disse Tarso na entrevista.

Em outra reportagem da Folha, também publicada no domingo, informa que a cúpula da Polícia Federal gostaria de afastar o delegado. Segundo o texto, apesar dos possíveis excessos da operação, o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, avalia que a investigação teve mais méritos que defeitos.

Deflagrada no último dia 8, a Operação Satiagraha resultou na prisão de Daniel Dantas, do investidor Naji Nahas, do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e de mais 14 pessoas suspeitas de integrarem a quadrilha.

No domingo, o único investigado que estava foragido, Humberto Braz, assessor de Dantas, se entregou à polícia. Continuam presos apenas Braz e o consultor Hugo Chicaroni.

Com o caminhão de dinheiro que esta envolvido e com os nomes dos personagens, só poderia acontecer isso mesmo. País de FILHOS DA PUTA mesmo.

Em diálogos, Daniel Dantas cita FHC

Os intestinos do Brasil.

Esta a seguir é a transcrição de conversas telefônicas interceptadas, legalmente, no bojo da Operação Satiagraha.

Neste capítulo, Daniel Dantas cita o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Coloca-o em cena numa conversa com ele, Dantas, e dirigentes do Citibank. Cena essa que, segundo o roteiro dantesco, marcaria os primeiros passos da montagem do fundo CVC, sociedade entre Daniel e o Citibank.

No diálogo entre Dantas e sua diretora jurídica, Danielle Silberglade Ninnio, o banqueiro ensaia vender influência junto ao presidente e a importância da sua presença na montagem do fundo.

O editor-chefe deste Terra Magazine acaba de ter, nesta tarde de terça-feira 15 de julho, uma longa conversa com o ex-presidente da República. A entrevista está sendo transcrita e irá ao ar ainda nesta tarde. Adiante-se um trecho do que Fernando Henrique disse:

- ...Não tem base. Na verdade, fui procurado por ele e pelo pessoal do Citibank, que me comunicaram que iam fazer um fundo que tinha feito muito sucesso nos Estados Unidos, o Equity (...) muitas pessoas me procuravam. Isso já é conversa dele, já é usar o santo nome em vão...

Na entrevista exclusiva a Terra Magazine o ex-presidente fala sobre que tipo de relação teve com o banqueiro, busca recordar o que passou naquele encontro e em outro, este apenas com Dantas, anos depois.

Fernando Henrique comenta ainda a crise detonada pela Satiagraha e aborda as relações, excessivamente próximas, entre o capital privado e um estado deficiente na regulação. Toda entrevista daqui a pouco.

Quinze de novembro de 2007. O banqueiro Daniel Dantas conversa com a diretora jurídica do Opportunity, Danielle Silbergleide Ninnio, às 09h01m42s.

Ambos debatem, mais uma vez, umas das incontáveis batalhas jurídico-comerciais de Dantas. No caso, o objetivo é levar o Citi a retirar as ações judiciais contra ele - algo correspondente a US$ 1 bilhão - e fazer a fusão Brasil Telecom e Oi, onde ganharia R$ 1 bilhão.

Para ser concretizada a fusão BrOi, é necessário ultrapassar o Citibank. Daniel discute com Danielle a sinuosa estratégia, a munição que levarão para enfrentar o Citi em Nova Iorque.

Na conversa ele parece se preparar para um depoimento. Num flash-back, retorna ao início da empreitada.

Segundo Daniel, tudo começa, ou passa, por um encontro em Brasília entre o presidente da República, Fernando Henrique Cardoso e os responsáveis, no Citibank, pela parte de Private Equity (investimentos não financeiros).

O banqueiro, ao rememorar uma de suas pelejas, avança por território movediço. Recorda a reunião com o então presidente Fernando Henrique Cardoso, antes da criação do fundo de investimentos (o que veio a ocorrer no final de 1997).

Presentes, no tal encontro, além do presidente da República, os norte-americanos Bill Confort e Mary Lynn Putney, chefes de Private Equity no Citi.

Mary Lynn era gestora de relacionamento de Daniel Dantas, hospedava-se em sua casa em Búzios e visitava-o na Bahia.

O que vaza das entrelinhas na montagem da estratégia de Daniel e Danielle é uma tentativa de comprometer o Citibank. Por quê?

Depois do escândalo Enron, vigora a lei Lei Sarbanes-Oxley (do senador Paul Sarbanes e do deputado Michael Oxley), de 2002, que pune com até 10 anos de cadeia os executivos de empresas com operações financeiras no exterior. Quem entende os pormenores desse tatame, sente que o Citi vive diversos temores ante esse novo marco jurídico.

Nessa montagem de estratégia para enfrentar o gigante Citi, Dantas se refere a um documento que veio de Londres ("eu já tinha dito que eu não li um documento que eu assinei, tá?") e explica o batismo do fundo.

- ... "Ah, por que que vocês botaram o nome do CVC?" Eu digo: por que o CITI pediu. "Mas vocês não pediram ao CITI pra botar em nome do CVC?" Não, o Citi achou que pra "raise the fund internacional" (elevar o fundo internacional-inglês) era bom. "Ahh, e no Brasil, o nome CVC não te ajudava?" Eu digo: nada, é um nome de uma agência de turismo...

O diálogo sobe de andar, e até de tom. Chega ao Planalto. Aos trechos seminais. Foram mantidos, inclusive, os erros de transcrição.

Daniel Dantas: Sobre o uso do nome. E também, o CVC... o CITI não era bem visto na época, porque...por conta dos rescaldos da negociação da dívida, o banco era atribuído ao banco onde as causas do...da crise econômica brasileira. Então, não tinha nada que o CITI trouxesse de positivo na captação. Eu disse pra ele que os investidores dos fundos de pensão se motivaram porque nós oferecemos a ele "internacional exposure" (exposição iternacional-inglês), sócios estrangeiros que poderiam melhorar as práticas e o entendimento dos fundos de pensão. E ele disse: "ahhh, mas você teve uma reunião com FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, quem estava na reunião?" FERNANDO HENRIQUE, MARY LYNN e o presidente do CITI do Brasil. "Como é o nome dele?" Não lembro. "Ahh, o que que vocês falaram lá, mas tem aqui num email seu você dizendo que CARDOSO disse que tinha gostado da reunião e que ia apoiar a iniciativa". Eu digo: CARDOSO esteve na reunião, BILL CONFORT explicou na reunião que PRIV EQUIT FUND tinha sido responsável pela revolução de eficiência na economia americana, o "shaking up for corporate america" (o agito para empresas americanas-inglês) e que podia ser muito interessante pro Brasil e que podia também atrair muito capital pro Brasil. Alô?

Danielle - Oi?

Daniel Dantas: E aí, o presidente achou que era interessante, depois eu fui ao BNDES e tal, conversei porque ele tinha achado interessante tentar desenvolver a linha de "private equit" aqui no Brasil.

Danielle: ... (inaudível) que ele ia te perguntar isso. Lembra daquele negócio da CPI? Eu tinha certeza!

Daniel Dantas: Aí ele, aí ele... não, foi isso que o mister CONFORT foi...foi falar com... falou com mister CARDOSO. Aí, o que que acontece, então ajudou no fundo a persuadir o governo a simular o "private equit" no Brasil. Está muito distante de que tenha investido por conta do ...(inaudível). Já se diz que os fundos investiram, você alguma vez disse aos fundos que: "ahhh, o que que você faria...?". Aí, primeiro ele inventou agora que estava inconsistente esse meu "declaration", porque os fundo, o fundo tinha uma carta lá de não sei quem mostrando que o fundo nacional fechou depois que o fundo estrangeiro já tinha fechado, quando o fundo nacional fechou e tal. Não sei. "Ahhh, mas como é que você não sabe?". Eu não sei. "Mas você não assinou esse "declaration?". Assinei o "declaration". "Mas você não preparou?". Eu digo: Não, não preparei. O "declaration" foi preparado pelos "lawyer", eu basicamente revisei os "declaration", confiei naquilo que me foi informado e acredito que está certo. Ele... quer dizer, não fui disputar, é ou não é, não sei. Aí o que acontece é o seguinte, nessa linha, é difícil dele pegar. Aí, onde eu sei ele não sabe, onde ele sabe eu não sei.

TSE: cerca de 8 milhões de eleitores são analfabetos

Laryssa Borges
Direto de Brasília

Dos quase 129 milhões de brasileiros que estão aptos participar das eleições municipais de outubro, cerca de 8 milhões são analfabetos. As informações, divulgadas hoje pelo secretário de Tecnologia da Informação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Giuseppe Dutra Janino, não levam em conta o Distrito Federal, que não participa das eleições por não ter prefeitos, vice-prefeitos ou vereadores.

Os analfabetos, explica o chefe da Secretaria Judiciária do TSE, Jorge Marley, não são obrigados a votar, assim como os menores de 18 anos, que correspondem a 2,91 milhões de eleitores para as eleições municipais, e os maiores de 70 anos, que são cerca de 5,6 milhões para o pleito de outubro.

Além dos analfabetos, outros 20 milhões de eleitores dizem saber apenas ler e escrever. De todo o eleitorado, aponta o TSE, 44 milhões de pessoas possuem o Ensino Fundamental incompleto, enquanto pouco mais de 10 milhões completaram a etapa fundamental de ensino.

Considerando ainda o grau de instrução dos eleitores, quase 4,5 milhões possuem o Ensino Superior completo, enquanto 3,1 milhões ainda não completaram o ensino universitário. Em relação ao Ensino Médio, aproximadamente 23,3 milhões de eleitores o possuem em grau incompleto e 15,4 milhões de pessoas aptas a votar completaram o antigo segundo grau.

De acordo com o TSE, existem no País exatos 130.469.549 de brasileiros regularmente inscritos perante a Justiça Eleitoral e, portanto, aptos a elegerem seus representantes no Executivo e Legislativo municipais. Deste total, 67.483.419 são mulheres e 62.824.986 são homens.

SEM COMENTÁRIOS

Cacciola inicia viagem de extradição ao Brasil

Passados 8 anos de sua fuga para a Itália e 10 meses de sua prisão em Mônaco, o ex-banqueiro do Marka, Salvatore Cacciola, iniciou hoje sua viagem de extradição ao Brasil. Ele saiu de Mônaco para Nice (França) às 13h30 (8h30 de Brasília). A viagem, de helicóptero, durou cerca de 7 minutos. Em Nice, ele aguarda um vôo para Paris, de onde deve partir para o Brasil.
Cacciola é acompanhado por uma comitiva brasileira de sete pessoas, formada por agentes da Polícia Federal (PF) e representantes do Ministério da Justiça.
O embarque do ex-banqueiro para Paris deveria ocorrer às 15h55 (10h55 de Brasília), mas a previsão é de que atrase cerca de 20 minutos. Cacciola aguarda em uma sala reservada, acompanhado com agentes.
O ex-banqueiro deve viajar em um vôo da companhia Air France para a capital francesa, onde, às 22h (17h de Brasília), deve embarcar em um vôo da TAM em direção ao Rio de Janeiro. Cacciola deverá viajar como passageiro comum.
Se não houver problemas, Cacciola deve chegar ao Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Galeão) às 5h de quinta-feira. O trajeto foi elaborado de forma a evitar que o banqueiro passe pelo território da Itália, onde tem cidadania.

7 de jul de 2008

Criador de vacas é preso por ameaçar o trânsito no Mato Grosso do Sul

Alvino Pedro Leite, de 79 anos, foi preso por colocar a vida de outras pessoas em risco. Ele levava seu gado pastar na beira de rodovia e poderia causar acidentes, segundo a Justiça.

Alvino Pedro Leite, de 79 anos, foi preso por colocar a vida de outras pessoas em risco. Ele levava seu gado pastar na beira de rodovia e poderia causar acidentes, segundo a Justiça.

Alvino Pedro Leite, de 79 anos, foi preso por colocar a vida de outras pessoas em risco. Ele levava seu gado pastar na beira de rodovia e poderia causar acidentes, segundo a Justiça.

Alvino Pedro Leite, de 79 anos, foi preso por colocar a vida de outras pessoas em risco. Ele levava seu gado pastar na beira de rodovia e poderia causar acidentes, segundo a Justiça.

Tive que repetir a notícia pois é um absurdo, nesse país SÓ TEM FILHO DA PUTA. Quando vi essa matéria percebi que fiz a coisa certa em não seguir a carreira jurídica, juiz e promotor deveriam passar uma noite lá com esse senhor. Motoristas embriagados bebem, são pegos, pagam fiança e estão soltos, esse coitado que não sabe nem se expressar direito dividiu uma sela com todo tipo de bandido.

Eu ja entrei no site da Camara dos Deputados e detonei. Mandei email para todo mundo, afinal, não é possível que casos como esse continuem a acontecer em nosso país. PQP.

4 de jul de 2008

Ação de tentente é "explicável", diz psicólogo

Vinte e cinco anos, lembrança de um bebê de dois meses e muitas, muitas lágrimas. Esse era o cenário à frente do juiz federal que ouviu o tenente do Exército Vinícius Ghidetti de Moraes Andrade, que ao entregar 3 jovens do morro da Providência a traficantes do morro da Mineira, no Rio de Janeiro, provocou a discussão sobre o papel das Forças Armadas na segurança pública.

A atitude do tenente é "explicável", de acordo com Francisco Heitor da Rosa, professor da Universidade Estadual de Londrina (PR) e especialista em Psicologia Militar. Ele reforça o raciocínio de que militares das Forças Armadas não são preparados para fazer o trabalho das polícias:

- A função dele é assim. Se ele tem que parar o trânsito em um determinado lugar e alguém fura o trânsito, ele não fica na frente do carro. Ele atira no carro (...) Ele é treinado dizendo: "Pare! Não parou, atira" - explica o professor.

Rosa argumenta que os militares são treinados para respeitar a hierarquia e quando vê a autoridade desrespeitada, reage de maneira diferente que teria a Polícia, preparada para lidar com a população civil. E cita o depoimento do tenente para ilustrar a idéia:

- Essa foi uma pergunta que o juiz fez ao militar que estava depondo: "O traficante desrespeita o Estado, você imaginou que fosse respeitar você?" O militar, de verdade, não pensa que vai ser desrespeitado.

Para o especialista em psicologia militar, houve também um erro estratégico ao mandar uma tropa do Rio de Janeiro para fazer a segurança de um morro na mesma cidade. E essa responsabilidade, critica, é de "quem mandou" as tropas para lá:

- Se tivesse uma tropa, por exemplo, do Amazonas, do Rio Grande do Sul, ou do Nordeste (ao invés da carioca), eles não teriam esse contato com um traficante.

Leia a íntegra da entrevista com o professor da UEL, que fala também sobre a influência que a pressão popular pode exercer no julgamento:

Terra Magazine - Os oficiais do Exército estão preparados para esse serviço a que eles estão submetidos?
Francisco Heitor da Rosa - O problema é: qual é o tipo de serviço que foi dado para eles executarem? O de polícia. E o Exército, Marinha e Aeronáutica não são treinados para isso. O militar das Forças Armadas não é treinado para fazer serviço de patrulhamento ostensivo de população civil. Não há nenhum tipo de formação específico para isso dentro das Forças Armadas.

Ele é treinado, basicamente, para ir para a guerra, certo?
Ele é treinado para garantir a integridade da nação, tanto territorial quanto institucional, e basicamente para a função de combate. O que implica uma série de pressupostos. Por exemplo, significa que do outro lado tem um inimigo e não um cidadão ou um civil exercendo seus direitos básicos de ir e vir, de trabalhar etc. O militar não está treinado para isso, não é a função dele.

Até porque o militar estaria sempre numa situação em que não há ou que está ameaçado o Estado Democrático de Direito.
Certamente. Essa seria a lógica. E uma vez que você entende essa lógica, entende que qualquer tipo de ameaça à função dele, à atividade dele é sempre uma ameaça séria. Não existe uma ameaça leve. Ou é ameaça, ou não é ameaça. A idéia no combate é você ferir o inimigo, preferencialmente. Não matá-lo. Ferir, para que ele seja um peso para o adversário, que tem que recolhê-lo, aumentando as baixas dos inimigos, que precisam de um ou dois para carregar o ferido. Não existe a lógica de fazer prisioneiro. Quem tem essa lógica é a Polícia Civil e Militar. Que vai fazer patrulhamento ostensivo para inibir o crime. Você não está trabalhando com um inimigo, mas com um transgressor. Essa é a mentalidade dos policiais, que o militar não tem.

Então é compreensível que eles tenham tido essa atitude, sentindo por exemplo, a sua hombridade lesada?
O que ele deve ter pensado foi uma lesão à autoridade. O militar não é treinado para pensar que a sua autoridade pode ser desrespeitada. E constitucionalmente não pode. Ou não poderia. Aliás, essa foi uma pergunta que o juiz fez ao militar que estava depondo: "O traficante desrespeita o Estado, você imaginou que fosse respeitar você?" O militar, de verdade, não pensa que vai ser desrespeitado. Até porque, a função dele é assim. Se ele tem que parar o trânsito em um determinado lugar e alguém fura o trânsito, ele não fica na frente do carro. Ele atira no carro. Se a pessoa sai do carro com um porrete na mão, ele não conversa para acalmar a pessoa, ele dá um tiro de fuzil no sujeito. Então não é função dele ficar lidando com população civil. Ele é treinado dizendo: "Pare! Não parou, atira". Aí depois você pergunta por que o sujeito não parou. Se o sujeito ficar vivo. O que houve, dentro de uma política de quartel, seria um desacato, um desrespeito. Um processo que dá punição se o sujeito que faz isso é um militar. O que o grupo deve ter pensado, foi: "esse povo tem que entender que não pode fazer isso". Provavelmente, e é até razoável acreditar que ele não fosse imaginar que os jovens seriam mortos. Eles, militares, disseram que era para dar um susto, dar umas pancadas, deixar o neguinho correndo pelado pela favela. Essa mentalidade não é distorcida, não é uma distorção social. Num caso como esse, o policial vai conversar, eventualmente dar uma descompostura no cara ali mesmo. Se o sujeito insistir, vai algemar, levar para a delegacia, dar o desacato, deixar preso até o advogado vir... É burocrático? É, mas eles são treinados para fazer isso.

Mas como justificar, dessa forma, que eles tenham tido contato com os traficantes, considerando que, nessa linha de raciocínio, o traficante seria um inimigo? Do Estado e da Força que ele defende?
O problema é que quem está fazendo o serviço lá é gente do próprio Rio de Janeiro. Então eles realmente conhecem as pessoas da região, têm contato. Foi o mesmo erro que o governo chinês cometeu quando houve a manifestação na Praça da Paz Celestial. Eles deslocaram as tropas de Beijing para fazer a contenção da manifestação popular. Quando as tropas chegaram, eles encontraram parentes, familiares, amigos na Praça. Então a tropa debandou. Esse é um erro estratégico, mas de quem manda a tropa para o local. No caso brasileiro, era natural de se esperar que alguns elementos da tropa também já tivessem contato com o povo do morro. Se tivesse uma tropa, por exemplo, do Amazonas, do Rio Grande do Sul, ou do Nordeste (ao invés da carioca), eles não teriam esse contato com um traficante.

A atitude deles é, então, justificável? Independente de certa ou errada, é justificável?
Eu diria que ela é explicável. E quando você consegue explicar é porque você tem causações que te levam a agir dessa forma, como sendo uma resposta natural. Mas ela não é justificável no sentido de que temos leis e a lei não permite isso. Se o militar olha o mundo por um prisma, baseado em hierarquia e disciplina, o civil olha pelos seus direitos, e não pelos seus deveres. Então quando você joga o militar de Forças Armadas para fazer esse tipo de serviço, você está jogando gasolina em brasa. A tendência é que haja um atrito muito forte. Porque elas enxergam o mundo e as relações de uma maneira diferente. E isso explica também o comportamento da população: "se o negócio tá feio, vai lá e desce o cacete". Só que isso, pensam eles, é bom quando é contra o bandido; contra a população é ruim. O resultado final foi completamente inadequado. Do ponto de vista legal, nada justifica. Agora, do treinamento e formação que os militares têm, isso explica porque agiram dessa forma.

30 de jun de 2008

Nine Inch Nails no Brasil

Trent Reznor, em ensaio para a nova turnê: NIN vêm pela segunda vez ao Brasil em outubroTrent Reznor, em ensaio para a nova turnê:

NIN vêm pela segunda vez ao Brasil em outubro

O Nine Inch Nails fará dois shows no Brasil no segundo semestre. A banda confirmou em seu site oficial apresentações em São Paulo e Porto Alegre, nos dias 7 e 9 de outubro.
Reznor e banda vieram ao país pela primeira vez em 2005, quando se apresentaram no festival Claro que É Rock. Reznor é o único membro oficial do NIN.
Em SP, o show acontece no Via Funchal; em Porto Alegre, o lugar escolhido foi o Pepsi on Stage. Ainda não foram divulgados os preços dos ingressos.
Álbuns na internet
Desde outubro de 2007, Reznor tem lançado álbuns do NIN de graça na internet. O primeiro foi The Inevitable Rise and Liberation of Niggy Tardust. Em março deste ano, nove faixas de Ghosts I-IV, álbum instrumental, foram liberadas na rede. Uma edição limitada do álbum, numerada e assinada por Reznor, esgotou-se rapidamente, apesar do preço (cerca de R$500). The Slip, que sai em CD em julho, também pôde ser baixado de graça.

24 de jun de 2008

PAC: três principais empreiteiras já receberam R$ 1 bilhão

Direto do Contas Abertas.

As construtoras contratadas pelo governo federal para executarem as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) podem até variar quanto ao número de projetos executados, mas estão sempre presentes na administração federal direta (excluindo as estatais). Desde o ano passado, três construtoras permanecem na lista das seis maiores beneficiadas com repasse de recursos federais: a Delta Construções, a SPA Engenharia Indústria e a Comércio e a CR Almeida – Engenharia de Obras. Juntas, essas empreiteiras receberam dos cofres da União R$ 1 bilhão desde o ano passado para tocar obras do PAC (veja as principais construtoras).

A Delta Construções, especializada em obras públicas, é a empreiteira que mais recebeu recursos desde o lançamento do pacote econômico, em janeiro de 2007. Foram destinados à empresa do Rio de Janeiro um total R$ 410 milhões referentes à restauração de rodovias federais, conservação preventiva e rotineira e adequação e recuperação de trechos de pelo menos 21 estados brasileiros, entre eles, Ceará, Sergipe, Alagoas e Espírito Santo. A construtora é responsável por pelo menos 85 obras do PAC.

No final de 2005, especulou-se que a construtora Delta teria apresentado um documento com informações falsas para participar da licitação pública da Linha Verde, em Minas Gerais, considerada o maior conjunto de obras viárias de Belo Horizonte e região metropolitana das últimas décadas. No entanto, a assessoria de imprensa da construtora é enfática ao afirmar que a empresa não produziu documentos falsos para participar da licitação.
Segundo a assessoria da Delta Construções, houve um erro de tramitação de documentos entre o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT) e o extinto DNER de Pernambuco (Departamento Nacional de Estradas e Rodagem). O documento teria sido emitido oficialmente pelo DNER-PE. Entretanto, o DNIT cancelou a documentação por conter erro no volume de serviços informados. Sendo assim, segundo a assessoria, a Delta Construções não teve responsabilidade nas informações contidas no laudo oficial.
A CR Almeida S/A – Engenharia de Obras, por sua vez, é a segunda construtora mais bem contemplada com recursos do PAC, com uma quantia recebida de R$ 309,8 milhões. A empresa tem quase oito décadas de atividades na indústria de construção pesada no país. Os empreendimentos tocados pela construtora variam entre obras rodoviária, ferroviárias, metroviárias, aeroportuárias, energéticas e construção de barragens.
Outra empreiteira que recebeu recursos vultosos para tocar obras do PAC foi a SPA Engenharia Indústria e Comércio. Do ano passado para cá, a empreiteira recebeu R$ 280,3 milhões. A construtora é responsável, por exemplo, pela construção do trecho ferroviário Aguiarnópolis/Palmas, no estado do Tocantins. Para tocar essa obra, que faz parte do traçado da Ferrovia Norte-Sul, a construtora recebeu este ano o valor de R$ 52,3 milhões. A SPA Engenharia também é responsável por executar a sinalização rodoviária nacional.
Empreiteiras do PAC

No ano passado, outras empreiteiras também receberam grandes quantias para arcarem com as despesas das obras do PAC. Mas neste ano, muitas delas só receberam a título de “restos a pagar”, que são dívidas empurradas pelo governo e pagas em anos seguintes.
A Queiroz Galvão recebeu do PAC o montante de R$ 231,1 milhões para a execução de obras em 2007. Neste ano, a empreiteira foi contemplada com R$ 105,9 milhões em restos a pagar. A soma de todos os valores repassados a empresa do Rio de Janeiro chegou a R$ 377 milhões. A construtora também é responsável por parte da construção da Ferrovia-Norte Sul, no estado de Goiás. Para executar esta obra, a Queiroz Galvão recebeu este ano R$ 3,5 milhões de restos a pagar. A empreiteira realiza obras em cinco estados: Minas Gerais, Goiás, Santa Catarina, Pernambuco e Rio Grande do Sul.
Outra construtora que só recebeu esse ano por meio de restos a pagar é a Egesa Engenharia, de Minas Gerais. A título de investimentos empenhados em anos anteriores, a construtora recebeu este ano R$ 17 milhões. Já no ano passado, foi repassado a Egesa R$ 143,5 milhões.
A Construtora OAS e a ARG LTDA também receberam do governo federal recursos por obras executadas no ano passado. Para a Construtora OAS este ano foram repassados R$ 37,9 milhões. Essa quantia, somada aos valores recebidos no ano passado, chega a quase R$ 145 milhões. Já a ARG LTDA, construtora com sede em Minas Gerais, recebeu pelos serviços prestados R$ 206,1 milhões, sendo R$ 124,4 milhões no ano passado e R$ 81,3 milhões este ano a título de restos a pagar.
Balanço do PAC

No último domingo (22), o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) completou um ano e cinco meses de vida. Até agora, o PAC foi responsável por aplicar cerca de R$ 11,1 bilhões em obras de melhoria na infra-estrutura básica como redes viárias, instalações portuárias e saneamento (veja tabela). O valor refere-se ao PAC orçamentário, obras que podem ser acompanhadas no Orçamento Geral da União (OGU) por meio do Siafi (o que exclui investimentos das estatais e de empresas privadas). A soma dos orçamentos autorizados para 2007 e 2008 é de R$ 32,4 bilhões. Desta forma, apenas 34,2% do orçamento previsto aos projetos e atividades do PAC foram aplicados até o momento.
Dos R$ 503,9 bilhões previstos para serem investidos em infra-estrutura entre 2007 e 2010, apenas R$ 67,8 bilhões fazem parte do OGU, aplicados pela administração federal e passíveis de monitoramento por meio do sistema de receitas e despesas da União, o Siafi. Os outros R$ 436,1 bilhões são decorrentes de empresas estatais e da iniciativa privada.
Do início do programa até agora, a soma de todas as reservas orçamentárias (empenhos) feitas pelo governo federal equivale a R$ 21,2 bilhões. A atuação do governo fica restrita nos três meses que antecedem as eleições municipais deste ano. De julho a outubro, mês em que se realiza a disputa eleitoral, o governo não pode liberar novos recursos para obras. Mesmo assim, em junho, último prazo para que sejam assumidos os compromissos orçamentários, o montante empenhado foi de R$ 802,7 milhões.
Os Ministérios dos Transportes, Cidades e Integração Nacional desembolsaram juntos recursos da ordem de R$ R$ 9,5 bilhões para atender as obras do Programa de Aceleração do Crescimento desde o ano passado (veja tabela). Paradoxalmente, os três ministérios com menores investimentos por meio do PAC, os Ministérios do Desenvolvimento Agrário, do Meio Ambiente e da Agricultura, aplicaram apenas R$ 57,3 milhões.

É uma PUTARIA mesmo o que fazem com o dinheiro público.

Australiano "vende" vida no eBay e recebe ofertas de US$2 mi

CANBERRA (Reuters) - Parecia inacreditável quando as ofertas para compra da vida de um australiano de coração partido alcançaram 2,1 milhões de dólares. Mas foi o que ocorreu ao surpreso vendedor que havia calculado que sua vida valia somente um quarto desse valor.

Ian Usher, de 44 anos, anunciou em março que estava vendendo sua vida no eBay e o pacote incluía sua casa de três quartos em Perth, um período de experiência em seu emprego numa loja de tapetes, carro, moto, roupas e até amigos.

A decisão de Usher de vender a vida aconteceu depois do divórcio de sua esposa, que marcou o fim de um casamento de cinco anos e de um relacionamento de 12 anos dele com Laura, com quem ele construiu a casa.

Usher afirmou que esperava levantar até 500 mil dólares para financiar uma nova vida, mas no primeiro dia do leilão que durou uma semana as ofertas chegaram à casa de 2 milhões de dólares.

"Desculpem-me todos, mas eu creio que há muitos idiotas entediados por ai", disse Usher em resposta enviada por email à Reuters e que seria publicada em seu site www.alife4sale.com.

"De qualquer modo, depois de um longo dia no computador, decidi voltar com todas as ofertas até o valor do primeiro interessado e o preço voltou para 155 mil dólares australianos... agora voltamos à terra da realidade."

Depois de 21 ofertas, o valor do leilão já ultrapassou 200 mil dólares australianos.

Uma porta-voz do eBay afirmou que Usher tem que verificar todas as ofertas para conferir se são compradores genuínos e que ele pode apagar qualquer proposta que considerar falsa. A porta-voz acrescentou que Usher não é o primeiro vendedor oferecendo a própria vida.

O estudante australiano de filosofia Nicael Holt, de 24 anos, ofereceu sua vida para a mais alta oferta no ano passado, em protesto contra o consumo de massa.

Enquanto isso, o norte-americano John Freyer abriu o site All My Life For Sale (www.allmylifeforsale.com) em 2001, vendeu tudo que tinha no eBay e visitou depois os compradores de suas coisas.

Adam Burtle, universitário norte-americano de 20 anos, ofereceu a alma no eBay em 2001. As ofertas chegaram a 400 dólares antes que o site cancelasse o leilão afirmando que precisava ter algo tangível à venda.

E depois dizem que só há mulher bonita aqui no Brasil

Veja algumas beldades da Eurocopa 2008 aqui.

beldades

Miss Universe 2008 Contestants

Veja as beldades.

12 de jun de 2008

TV Globo falsifica o áudio do futebol para agradar corinthianos

Direto do Blue Bus

'Nao pára, nao pára, nao pára!' Este era o canto da torcida organizada do Corinthians que se ouvia ontem à noite, durante o início da transmissao do jogo pela TV Globo. Pelo menos aqui em Sao Paulo.

Mas veja, o Estádio da Ilha do Retiro tem capacidade para 36 mil pessoas, das quais 35 mil eram torcedores do Sport e apenas 1000 torciam para o Corinthians. Como entao o canto da torcida era corintiano?

Tecnologia e engenharia de som. O áudio foi captado e divido em 3 canais - o do narrador, o da torcida do Corinthians e o geral do estádio. Entao, o diretor técnico aumenta o volume do canal da torcida do Corinthians e diminui o volume geral do estádio. Isto cria no telespectador a falsa idéia de que a torcida no estádio é do Corinthians e ajuda a audiência, aqui em Sao Paulo, onde a maioria da populaçao é corinthiana.

Esta forcinha da técnica durou até o primeiro gol do Sport, pois entao, a esmagadora torcida do Sport foi ao delírio e aí nao houve técnica que ajudasse o torcedor do Timao. Ainda mais depois do segundo gol.

A transmissao do futebol é uma operaçao JORNALISTICA, realizada pelo departamento de jornalismo esportivo. Nao se pode falsear o áudio do estádio. Nao é ficçao, nao é dramaturgia. É jornalismo.

A TV Globo foi convidada pelo Comitê Gestor das Olimpíadas de Pequim para gerar as imagens do Volei de Praia. Este convite foi feito pela sua reconhecida competência técnica. Nao pode, ou melhor, nao deve, colocar em risco este reconhecimento para turbinar a audiência de um jogo. É pequeno, nao precisa.

Dá nojo ver a preferência pelo timinho e pelo flamengo (isso mesmo, com letra minúscula) na rede globo.

Realmente todos lá devem pensar que somos idiotas, mas eles estão certos, somos o psís das novelas sem conteúdo e dos jogos de futebol, somos otários.

OBS: bem feito gambás, PARABÉNS SPORT.

6 de jun de 2008

STJ considera legal "juros sobre juros" em cartão de crédito

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu nesta sexta-feira que é legal a incidência de juros sobre juros em contratos de cartão de crédito. A decisão foi tomada dentro do processo em que um banco do Rio Grande do Sul requeria o direito de cobrar dívida de um cliente que questionava a prática na Justiça.
A incidência de juros sobre juros, também conhecida como capitalização de juros, é quando a taxa de juros de um empréstimo incide não somente sobre o capital emprestado, mas também sobre o valor monetário, em juros, acumulado anteriormente.
Como exemplo, um empréstimo de R$ 100 para pagamento em quatro meses com taxa de 5% ao mês. No fim do 1º mês, quem tomou o dinheiro emprestado vai estar devendo R$ 105. No final do 2º mês, a taxa de juros incidirá sobre R$ 105 e não sobre R$ 100 e assim sucessivamente até o fim do período do empréstimo.
Pela decisão, os ministros consideraram o cartão de crédito uma espécie de conta-corrente em que pode haver saldo líquido passível de cobrança de juros sobre juros. O voto da relatora, Nancy Andrighi, foi seguido pela maioria dos ministros da seção.
Segundo o STJ, o caso chegou ao colegiado do tribunal por meio de um recurso chamado "embargo de divergência", no qual o banco informou que havia entendimentos diferentes sobre o mesmo tema sendo aplicados pela 3ª e 4ª turmas do STJ, especializadas em direito privado.
O banco recorreu ao tribunal superior após o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul entender que não havia previsão em lei para a cobrança de juros sobre juros na modalidade de cartão de crédito. A decisão da instância inferior foi mantida então pela 4ª turma do STJ, o que levou a instituição financeira a impetrar o embargo de divergência.

PQP.

Estamos ferrados mesmo, até o momento, a justiça brasileira era a única saída contra o abuso cometido pelas instituições financeiras e administradoras de cartões de crédito.

Com essa decisão podem preparar seus bolsos bando de otários, é isso que todos nós somos.

2 de jun de 2008

1 folheto com dicas de sexo ao alcance das crianças na C&A

Texto retirado do Blue Bus.

"Eu estava na C&A, num shopping, na seçao de moda infantil, com minha amiga e seus filhos. A filha, de apenas 8 anos, pegou o catálogo da C&A, que estava em um display para o público em geral. No meio do shopping, a menina pegou o catálogo da campanha do Dia dos Namorados e começou a ler em voz alta dicas de sexo, como, orgasmo, papai-mamae... Imagine a reaçao da minha amiga e das pessoas à nossa volta. Se a Zoomp fizesse uma campanha assim, seria fantástico, porque é uma marca adulta e ousada. Mas a C&A, que tem moda infantil e adulta, jamais deveria usar uma abordagem como essa. Há várias maneiras de atingir os adolescentes, como internet, virais, etc, e nunca um catálogo de PDV exposto de forma livre para ser pego pelas crianças. Sou redatora publicitária há 10 anos, e fiquei horrorizada e com vergonha de ter colegas de profissao de tao baixo nível profissional. Espero que a publicidade prime pelas campanhas criativas e inteligentes, porque apelar para o vulgar é um caminho tentador e fácil. Nao sei o que você acha sobre isso...". 02/06 Aline Martins

 

Vamos por partes OK.

Eu adoro sexo, mas nem por isso desejo que minhas duas filhas tenham acesso facilitado a esse tipo de informação, pelo menos, não agora, com 8 e 2 anos.

Esse final de semana minha filha de 8 anos perguntou o que é Papai e Mamãe (citado no comercial da C&A). Minha esposa, com toda sua sabedoria respondeu que é uma maneira de namorar e eu fiquei só olhando a tela da TV e me perguntando: mas que porra é essa de comercial ???????????

Realmente a C&A não precisava disso, é uma rede que vende como água, tem outras maneiras de chamar a atenção do consumidor e com certeza perdeu pontos comigo que sou (ERA) um grande comprador.

Agora, é inacreditável como quem regulamenta a propaganda desse país de filhos da puta também não está nem aí pra nada, essa é a verdade.

Pobre de nós.

30 de mai de 2008

Aids em Uganda: o moralismo funciona

Direto do Blog Pé na África - Folha de Sõ Paulo - UOL

KAMPALA (UGANDA) – Falei quase nada sobre Aids até agora, o que é uma falha, visto que a doença virou uma marca registrada desse continente.
Então é bastante apropriado que eu toque no assunto aqui, em Uganda. Aids é uma obsessão nesse país, quase uma mania nacional. Por onde você anda, vê centros clínicos, ONGs, igrejas, escolas, com aconselhamento de prevenção ou tratamento para HIV/Aids etc. etc. E placas, cartazes, faixas, tudo que se refere à doença.
De vez em quando é bom ver uma história de sucesso nesse continente, só para variar, e o combate à Aids em Uganda é um sucesso inquestionável. Há 15 anos, cerca de 30% da população tinham o vírus; hoje, são 6,5%.
Enquanto outros países perdiam tempo fingindo que nada acontecia, e até negando que HIV cause Aids (como na África do Sul, onde a taxa é de mais de 20%), os ugandenses agiam para conter a doença. Falar sobre o assunto, assumir o problema e discutir candidamente foi o primeiro passo. Mas teve mais.
Uganda trata a Aids de uma maneira como nós nunca faríamos no Brasil. Uma maneira inusitada, para dizer o mínimo. E assumidamente moralista.
Um exemplo do que acontece por aqui: imagine que você é um oficial do governo e precise traçar uma estratégia para reduzir a incidência de Aids junto a caminhoneiros. Em vários países, esse é um grupo delicado: estão sempre longe de casa, cruzam fronteiras, são cercados por prostitutas o tempo todo. São potencialmente um fator de disseminação da doença. E muitos chegam em casa e podem contaminar suas esposas.

 

untitled

Diz o pôster (aí em cima): “um motorista responsável se importa com sua família; ele é fiel a sua mulher”. O foco não é tentar fazê-lo se proteger quando dormir com prostitutas. Mas tentar convencê-lo, antes de tudo, a não ter a relação sexual. Parece ingênuo, mas o governo acha que funciona. E talvez funcione mesmo.
No Brasil, a ênfase das campanhas contra Aids é no sexo seguro: use camisinha, em outras palavras. Em Uganda, a promoção dos preservativos é apenas a perna mais fraca de um tripé que conta também com a promoção de abstinência e a fidelidade.
O slogan do governo é ABC: A é a inicial de abstinência, B é de “be faithful”, ou seja fiel, e C é para condom, ou camisinha.
Uganda é um país com forte influência das igrejas católica e evangélicas. O presidente, Yoweri Museveni, é, a exemplo de George Bush, um “born again christian”, ou seja, um cristão renascido, que descobriu sua fé no meio da vida. A primeira-dama, Janeth, é ainda mais religiosa.
Não surpreende, então, que o governo coloque tanta ênfase nas letras A e B. Abstinência é direcionada aos jovens, principalmente de menos de 25 anos, idade média em que eles se casam, incentivando-os a se manter virgens até o altar.
O B é dedicado aos casais, pedindo que sejam fiéis. Só em último caso, se a pessoa não conseguir se abster ou for um pulador de cerca contumaz, vem o C: pelo menos use camisinha.
Percebeu a diferença? O enfoque tradicional em vários países, inclusive no Brasil, é centrar fogo na camisinha. Em Uganda, camisinha é um último caso, quase o recurso dos pecadores.
Hoje conversei com representantes de duas ONGs, esperando ouvir algumas críticas à política do ABC. Nada. Aprovam 100%. Há um consenso nacional em torno do tema. Sobra para organizações estrangeiras descerem o pau, dizendo que é irreal esperar que um jovem de 20 anos se mantenha virgem.
Mas os números estão aí, desafiando o que diz a lógica e a convicção de muitos (como eu). São um tapa na cara dos céticos.

27 de mai de 2008

Cinema perde Sydney Pollack

Morreu o ator, diretor e produtor Sydney Pollack, aos 73 anos, em decorrência de um câncer, informou a imprensa norte-americana na noite desta segunda-feira (26).

Com saúde debilitada desde agosto do ano passado, quando pediu licença para fazer tratamento, Pollack faleceu em sua casa, no subúrbio de Los Angeles, no bairro de Pacific Palisades, rodeado por sua família, por volta das 17h (21h de Brasília), segundo informações repassadas à revista Variety e ao New York Times.

Versátil, Pollack dirigiu sucessos que marcaram a história de Hollywood, como Tootsie (1982) e Entre dois amores (1985), com Meryl Streep e Robert Redford, com o qual ganhou dois Oscar, entre eles o de melhor direção. Fez também participações como ator nos filmes De Olhos bem fechados, de Stanley Kubrick, e mais recentemente em Conduta de risco, de Tony Gilroy, em que seria novamente indicado a uma estatueta da Academia.

Começou a carreira no teatro, mas se notabilizaria atrás das câmeras a partir dos anos 60. Seu primeiro trabalho foi em 1962, no filme Obsessão de matar. Em 2005, dirigiria seu último filme, A intérprete, estrelado por Nicole Kidman e Sean Penn. O ator pode ser visto no recém-lançado O melhor amigo da noiva, comédia com Patrick Dempsey. Sydney Pollack deixa mulher e duas filhas.

22 de abr de 2008

Muito cuidado

Blue Bus - 22/04/08 - Caso Escola Base - 'Uma escola de horrores'
Quem se lembra dessa Revista Veja?

'Uma escola de horrores'. Foi como a revista Veja definiu a Escola Base, de Sao Paulo, em sua manchete do dia 06 de abril de 1994. Dentro da tao ilibada e respeitada publicaçao semanal, vinham os mais sórdidos detalhes sobre o famoso caso da Escola de Educaçao Infantil Base, um episódio triste que marcou o jornalismo sensacionalista e decadente do nosso país. E chocou o país.

Na ocasiao, grande parte da imprensa publicou, de forma irresponsável, uma série reportagens sobre 6 pessoas que estariam envolvidas no abuso sexual de crianças. A revista Veja foi uma delas. As crianças eram alunas da Escola Base, localizada em um tranquilo bairro de Sao Paulo. Os acusados eram - Ichshiro Shimada e Maria Aparecida Shimada, donos da escola; dois funcionários e um casal de pais.

As denúncias apresentadas por alguns pais diziam que o perueiro da escola era quem levava as crianças - no período de aula - para a casa deste casal. Lá os abusos eram cometidos e, ainda por cima, filmados. O delegado que trabalhava no caso na época, sem verificar a veracidade das denúncias, e com base em laudos preliminares, divulgou as informaçoes à imprensa. Pronto. Estava feita a farra jornalística. O melhor enredo para aquele ano de 94, até entao sem o Real, sem a morte de Ayrton Senna e sem o tetra no futebol.

Com a noticia espalhada de forma sensacionalista e exaustiva, a populaçao também deu seu veredicto. Consequentemente, revoltou-se com o caso. Assim, uma turba inconsequente se achou no direito fazer justiça com as próprias maos, depredando e saqueando a escola. Os donos da Base foram presos. Seus rostos estamparam as principais ediçoes dos jornais e revistas do país. Sempre retratados como monstros. Mas nao eram. Só que ai já estava arruinada a vida de 6 inocentes cidadaos trabalhadores, julgados e condenados pela imprensa e tambem pela opiniao publica.

A Justiça, que fez seu julgamento tardio, arquivou o inquérito por falta de provas. Nao havia qualquer indício de que a denúncia tivesse fundamento. Muito pelo contrario. Mas os inocentes pagavam suas penas, mesmo em liberdade. Afinal, nao há castigo maior do que ter sua índole julgada e execrada publicamente em todo o país.

Shimada teve 3 enfartes desde o ocorrido, fuma muito e diz que tem medo de andar nas ruas. Até mesmo para cumprir o simples trajeto diário que faz de casa para o trabalho. Em uma copiadora no centro de Sao Paulo. Sua mulher faz tratamento psicológico desde que esse triste episódio teve inicio. Os outros acusados sumiram. Foram todos morar no interior de Sao Paulo.

Os repórteres que cobriram o caso continuam exercendo suas atividades profissionais normalmente. Como se nada tivesse acontecido. Sem peso algum na consciência. Estampando as manchetes que acham mais convenientes. A revista Veja mostra na capa dessa semana que nada mudou. E se estao certos ou nao, acho que nao cabe a mim julgar. Pois sou daqueles que ainda acredita que julgamentos devem ser feitos apenas pela Justiça. Todas do Luiz Marcelo no Blue Bus, escolha uma entre as opçoes na lista aqui.

Que isso sirva de lição, temos um caso atualmente no Brasil onde duas pessoas já foram condenadas e culpadas, mesmo que lá na frente a história mude.

16 de abr de 2008

Record divulga nota sobre detenção de Roberto Cabrini

cabrini

A Record divulgou há poucos minutos uma nota sobre a detenção do jornalista Roberto Cabrini, 47, ontem. A emissora da Barra Funda já havia se posicionado sobre o acontecimento por telefone, por meio de sua assessoria, informando que ele fazia uma reportagem investigativa.
Detido na zona sul, Cabrini foi transferido para o 13º DP, na Casa Verde (zona norte) e distribuiu uma nota na qual afirma ser vítima de uma armação.

No texto divulgado hoje, a Record informa acreditar na polícia e na Justiça do Estado de São Paulo. Leia a íntegra:
A direção da Record determinou, logo que teve conhecimento sobre a detenção do repórter Roberto Cabrini, que o departamento jurídico da emissora acompanhe atentamente o caso e preste a assessoria necessária ao jornalista, para que o ocorrido seja esclarecido em breve.
A área de jornalismo da Record tinha o registro interno que o repórter estava desenvolvendo uma reportagem de caráter investigativo. Roberto Cabrini é reconhecido pela cobertura de reportagens especiais e por sua trajetória profissional nas principais tevês brasileiras.
A Record acredita na Polícia e na Justiça do Estado de São Paulo e espera a correta elucidação dos fatos.

Uma da séria O Fim está Próximo

Fernanda, tem que gosta

fernanda

Escritora, roteirista, apresentadora, Fernanda Young ocupa espaço. Com oito livros publicados e um talk show de sucesso na TV a cabo, esta niteroiense dá o que escrever

Aos 13 anos, Fernanda Young foi-se embora para Pasárgada. Na livraria, que ficava a poucos passos de sua casa, em Niterói, conheceu, entre uma xícara de chá e outra, Oscar Wilde, Fernando Pessoa, Machado de Assis. Autores que a levaram para um mundo além-mar. Na verdade, além-subúrbio.

Tinha 17 anos quando tomou a barca e atravessou para o outro lado da Baía de Guanabara. Partiu levando consigo os autores prediletos, caneta e papel. Foi quando, entre rabiscos e leituras, escreveu o primeiro romance, que, consagrada, acha "muito ruim". Oito anos depois, lança "Vergonha dos Pés". Hoje já são oito livros publicados.

Seria pouco falar apenas da Fernanda escritora. Literata por afirmação. Atriz, roteirista e apresentadora por ocasião, a conterrânea de Roberto da Matta está quase em todas. Recusa-se ao isolamento clássico dos escribas e não se furta a ter estilo próprio. Que o digam as duas dezenas de tatuagens ostentadas na tez branca, que causariam inveja à deusa Vênus.

Leia matéria completa na edição 233 de IMPRENSA do grupo Folha.

São Paulo afasta em definitivo Carlos Alberto

O São Paulo anunciou na manhã desta quarta-feira que decidiu não reintegrar o meia Carlos Alberto ao elenco. A decisão partiu do presidente Juvenal Juvêncio e o anúncio aos jornalistas foi feito por Marco Aurélio Cunha, superintendente de futebol do clube.
"A decisão foi do presidente Juvenal Juvêncio. Nada contra o atleta, simplesmente não deu certo. Ele terá apoio no sentido contratual e clínico", disse o dirigente.

Embora não possa treinar no clube, o São Paulo continuará arcando com o salário do atleta até o fim do compromisso, no dia 10 de julho.

Na noite do dia 4, Carlos Alberto se envolveu em uma confusão com o volante Fábio Santos, por conta da antecipação da concentração do time para aquela oportunidade.

Descontente com a decisão pela antecipação por parte da comissão técnica, Fábio Santos agrediu o meia são-paulino, por vê-lo como o pivô da mudança de horário, pois naquele dia o atleta havia chegado atrasado ao treino.

Por conta da confusão, ambos foram suspensos pela diretoria do clube. Carlos Alberto foi punido com 15 dias de gancho, enquanto Fábio Santos teve uma pena mais dura --29 dias. O volante, no entanto, foi perdoado por Juvenal Juvêncio na última segunda-feira, enquanto o meia seguiu cumprindo sua punição.

O UOL Esporte apurou que a decisão pelo afastamento do atleta não se deve somente ao fato de Carlos Alberto ter envolvimento na confusão com Fábio Santos. A diretoria são-paulina já estaria insatisfeita pelo atleta não ter conseguido perder peso como planejado, por conta do hipotireoidismo, além de atraso em treino e o corte que sofreu no pé e o afastou de algumas partidas do clube.

Carlos Alberto foi um dos três jogadores que vieram para o time do Morumbi por um empréstimo de seis meses -os outros dois foram Adriano (Inter de Milão) e Fábio Santos (Lyon). O jogador do Werder Bremen veio para o Brasil para recuperar a forma física ideal, comprometida por conta de uma disfunção hormonal. Esse problema não deixava com que Carlos Alberto perdesse peso para chegar ao físico ideal de um atleta.

A decisão pelo afastamento em caráter definitivo não impede Carlos Alberto de freqüentar o CT da Barra Funda quando necessário. "Eventualmente ele pode entrar e compartilhar em algum momento. O São Paulo vai cuidar dele na parte extracampo. É uma contratação que investimos, tentamos e ele nos deu até algum retorno, que foi o gol contra o Santos, que nos ajudou na classificação", comentou o dirigente, relembrando a vitória são-paulina sobre o time do Litoral por 3 a 2.

"Eu gosto dele, mas é uma decisão e isso não se discute", concluiu Marco Aurélio.

Verba de gabinete de deputado passa para R$ 60 mil reais

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), anunciou nesta quarta-feira (16) o reajuste do total destinado à verba de gabinete que será elevado de R$ 50,8 mil para R$ 60 mil.

O novo valor passa a vigorar a partir deste mês. Os 513 deputados terão direito de gastar até este valor para o pagamento de seus funcionários não-concursados. Antes de anunciar o reajuste, o presidente da Casa ressaltou que os funcionários não recebiam reposição desde março de 2005.

Aí meu povo, a putaria continua no congresso.

15 de abr de 2008

Liverpool lembra 19º aniversário da tragédia de Hillsborough

O Liverpool lembra hoje em uma cerimônia o 19º aniversário da tragédia de Hillsborough, em Sheffield, que matou 96 torcedores do clube inglês.

Como já é tradição, o Grupo de Apoio às Famílias de Hillsborough organizou uma cerimônia que será realizada no estádio Anfield, na área conhecida como "The Kop", no qual as vítimas serão lembradas.

No ato, que contará com a participação do técnico Rafael Benítez e de vários jogadores e diretores do clube, os presentes guardarão um minuto de silêncio, antes de cantarem juntos a música "You'll Never Walk Alone", considerada o hino do Liverpool.

O clube acenderá uma vela para cada um dos 96 mortos na tragédia, que aconteceu no dia 15 de abril de 1989, no estádio de Hillsborough, em Sheffield (Inglaterra).

No incidente, os 96 fãs do Liverpool morreram esmagados contra as cercas do estádio devido a uma avalanche de torcedores que tentavam assistir à partida entre o clube da terra dos Beatles e o Nottingham Forest, pelas semifinais da Copa da Inglaterra.

A página oficial do Liverpool lembra hoje os nomes de cada um dos torcedores mortos, e Benítez enviou uma mensagem de condolência aos familiares das vítimas.

"Trata-se obviamente de um dia importante para todas as pessoas ligadas a este clube. Temos de dedicar tempo para lembrar os que perderam a vida em Hillsborough e para acompanhar hoje seus familiares e amigos. Temos de dar-lhes nosso apoio e demonstrar que pensamos neles", assinalou o treinador.

Augustas

Quem viveu intensamente os anos 80 em São Paulo, sabe que um dos epicentros das atividades culturais oficiais e extra-oficiais da cidade era a rua Augusta. A época e o cenário foram retratados em "A Estratégia de Lilith", do jornalista e escritor Alex Antunes, convertido em romance cult sobre aquele período. O produtor cultural e documentarista Francisco César Filho, que foi um dos personagens mais ativos daquela época, está se encarregando de adaptar o livro para o cinema, no longa-metragem "Augustas".
O primeiro longa-metragem de Chiquinho, como é conhecido o cineasta, começou a ser rodado no dia 25 de março. Traz o escritor e dramaturgo Mario Bortolotto no papel do protagonista Alex, que depois de ser demitido do emprego como jornalista e de levar um pontapé da chefe e amante parte para uma viagem lisérgica
O elenco reúne também nomes da nova geração do teatro e do cinema, como Caroline Abras, Georgina Castro ("O Céu de Suely"), Guta Ruiz ("Fim da Linha", "Nossa Vida Não Cabe Num Opala") e Maíra Chasseraux ("Onde Andará Dulce Veiga"). Haverá participações especiais de Milhem Cortaz ("Tropa de Elite", "Carandiru") e da veterana Selma Egrei (musa dos filmes de Walter Hugo Khouri).
Na trilha sonora, que terá produção de Antunes, estão clássicos de bandas do underground paulistano dos anos 80 e 90 como Akira S e As Garotas Que Erraram, Fellini, Voluntários da Pátria, Mercenárias e Harry em releituras feitas especialmente para o filme por grupos como Vanguart, Montage, Los Porongas, Macaco Bong, Madame Sataan e Lucas Santana, entre outros.

Leia mais aqui.