31 de jan de 2008

Funcionário do IBGE sacou R$ 96 mil com cartão


Um dos recordistas em gastos com os cartões corporativos do governo federal é um funcionário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de Presidente Prudente, no interior de São Paulo.
Luiz Carlos Estevam Foglia gastou exatamente R$ 98.226,78 durante o exercício de 2007.
Desse valor, R$ 96.243,00 - o equivalente a 98% - foram sacados em dinheiro, em terminais de auto-atendimento do Banco do Brasil. Essa função também é permitida no cartão corporativo.
Só no dia 25 de julho de 2007, Luiz Foglia realizou 10 saques, de R$ 1 mil cada um. Em todo o mês de julho, foram R$ 52.420,00 sacados em dinheiro.
Procurado por Terra Magazine, o funcionário não foi localizado.
Ele está de férias e não foi encontrado em sua residência. O gerente de agências interino do IBGE - o titular também está de férias -, Reinaldo Apolinário, diz que as despesas foram autorizadas pelo órgão:
- Em 2007, o IBGE realizou um censo e um agrocensopecuário. Foi contratado um número grande de servidores e tivemos despesas grandes. É a forma que nós temos de pegar esse dinheiro.
O cartão corporativo - cujo nome técnico é Cartão de Pagamento do Governo Federal (CPGF) - é regulado pelo Decreto número 5.355, assinado em 25 de janeiro de 2005 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Trata-se de um decreto vago. Diz, por exemplo, o parágrafo único do artigo 1º:
"O CPGF é instrumento de pagamento, emitido em nome da unidade gestora (...) utilizado exclusivamente pelo portador nele identificado, nos casos indicados em ato próprio da autoridade competente, respeitados os limites deste Decreto"
Ou seja, a regulamentação sobre o uso dos cartões cabe à "unidade gestora" - nesse caso, o próprio IBGE. Também o gestor é responsável por definir o limite de uso e de valor das movimentações feitas com o cartão.
No caso do funcionário de Presidente Prudente, Apolinário diz que os saques, que incluíam despesas com pessoal, eram a alternativa adequada para cobrir as despesas. Ainda que a recomendação do próprio governo federal seja de uso em casos de extrema necessidade:
- Para as despesas que nós fomos obrigados a fazer durante essa campanha censitária, era necessário fazer na modalidade de saque de dinheiro. É uma maneira permitida para ser feita. Isso é perfeitamente possível. É a maneira que nós tínhamos que fazer. - alega o gerente de agências interino.
A farra dos cartões
A polêmica dos cartões corporativos começou após a revelação de que a ministra da Igualdade Social, Matilde Ribeiro, pagou R$ 461,16 em um free shop com o cartão corporativo. Ela diz que foi um erro e que o valor já foi devolvido aos cofres públicos.
A Controladoria Geral da União deve investigar o uso dessa forma de pagamento em pelo menos mais dois ministérios. Altemir Gregolin, ministro da Pesca, também gastou R$ 222,85 em alimentação em restaurantes do Rio de Janeiro. Orlando Silva, do Esporte, chegou a pagar R$ 8,30 em um tapiocaria de Brasília.


Guardem bem esse nome: Luiz Carlos Estevam Foglia. Esse filho da puta vai servir de otário.
Vão acabar com a vida dele para dar exemplo e os outros milhares que fazem o mesmo ?
Onde estão ?
Essa entra para a nossa famosa série: O Fim está Próximo.
Oh país de filhos da puta, país das barbaridades, PQP mais uma vez.

Liquidações de verão

Aproveitem.


Mash. Store
A loja exclusiva de underwear, beachwear e homewear masculino, Mash. Store, realiza promoção com descontos de até 20% em cuecas de todas as linhas.Entre as linhas que participam da promoção, destaque para as cuecas Mash. Active, Mash. Basic, Mash BadBoy, Mash. TNG, Mash. Power e Mash PushUp, uma cueca com bojo frontal de sustentação, desenvolvida especialmente para valorizar os contornos masculinos.
Os descontos são progressivos e válidos para pagamentos à vista ou em até 3 vezes sem juros, em todos os cartões de crédito. 
- Na compra de 5 peças, o consumidor ganha 5% de desconto; 
- Na compra de 10 peças, o consumidor ganha 10% de desconto; 
- Na compra de 20 peças,  o consumidor ganha 20% de desconto.
Endereço: Rua da Consolação, 3.387 – Jardins - São Paulo - SP

The Graces
A joalheria The Graces traz uma ótima oportunidade para adquirir peças com descontos que variam de 30 a 50%. A venda especial é valida para todas as lojas The Graces até o dia 29/02, localizadas nos shoppings Paulista, Center Norte, Anália Franco, Plaza Sul e  Ibirapuera. A joalheria aceita todos os cartões de crédito. Mais informações pelo telefone (11) 3253-5597.

Têca
A Têca, loja da estilista Helô Rocha, promove liquidação de sua coleção de verão 2008, batizada “Tropicália”. Com descontos de 30% (exceto linha casa), a promoção vai até dia 28 de março.
Endereço: Alameda Franca 1342, Jardim Paulista - Telefone: (11) 3085-4476

Jorge Alex
A liquidação acontece nas duas lojas da marca, em Moema e Santana, que também conta com um bazar permanente. Os descontos são de até 50% em calçados, bolsas e acessórios das linhas feminina e masculina.
Formas de pagamento: Parcelamento em até 4 vezes no cheque. À vista em todos os cartões de crédito.
Endereços: Moema - R. Canário, 1240. Tel.: 6827-7000

JOGÊ Lingerie
A marca entra em liquidação com descontos de 10% a 50% nas peças das linhas feminina, masculina e infantil
JOGÊ Lingerie - SAC 0800-118555

Bayard Esportes
A Bayard Esportes, rede paulistana de artigos esportivos, estará em liquidação de verão até 10 de fevereiro com desconto de até 40% e mais bônus de até R$ 100,00 em diversos tênis, para uso em compras futuras.
Endereços Bayard Esportes: Shopping Ibirapuera, Morumbi, Iguatemi, Paulista.

Armazém da moda
A Promoção de Verão da ponta de estoque, Armazém da Moda, tem até 15% de desconto nas peças de roupas femininas de marcas como, “Linda de Morrer”, “Everlast”, “Camppala”, entre outras. Os looks vão do casual ao social, com opções originais em estampas e tecidos para atender aos mais diversos públicos: peças com brilho, para o dia e para a noite, vestidos para as mais diversas ocasiões, calças jeans, saias, batas, camisas, shorts, etc. A loja está localizada na Chácara Santo Antonio, zona sul de São Paulo, em uma casa de dois andares, com mais de 400 m².

Claudeteedeca
A Claudeteedeca liquida a coleção de verão com 50% de desconto em todas as peças. A liquidação vai até o dia 12 de fevereiro ou até o final do estoque. 
Endereço: R. Jacques Felix, 223 - Vila Nova Conceição - São Paulo - SP

Timberland 
A rede de lojas Timberland, marca de estilo de vida outdoor, realiza a “Promoção Desconto Progressivo de Férias” durante o mês de janeiro, oferecendo descontos de até 25% em todas as peças da coleção verão 2008.

Ariza
A Ariza entra em liquidação com descontos de até 50%. O pagamento é facilitado para compras acima de R$ 600,00, podendo ser parcelado em três vezes, sem juros, nos cartões Visa e Amex ou no cheque.

Lita Mortari
A nova loja da grife Lita Mortari, localizada no Market Place, está em liquidação. Lá pode-se encontrar  preciosidades, como o mantô de nylon, por R$790, o paletó de micro cancãs, por R$590, a saia de cetim preta, por R$290 e o vestido de organza com trabalho de origami, por R$690. A liquidação da Lita Mortari segue até o dia 6 de fevereiro.
Endereço: Shopping Market Place, piso superior - Telefone: 5181-1916

30 de jan de 2008

Mistériooooooooooooooooooooooooooooooooo

"Conte para todo mundo lá fora o que acontece aqui dentro"

Esse foi o pedido de Marcelo, o suposto gay da casa.
Antes da eliminação da ultima terça-feira 29, o psiquiatra Marcelo fez um pedido enigmático para o emparedado Alexandre.
- Se você sair, conte para todo mundo lá fora o que acontece aqui dentro. Explique pra eles o que ocorre aqui, o que somente nós 14 podemos saber, solicitou o psiquiatra Marcelo, bastante emocionado.
Alexandre ouviu atentamente o companheiro e caiu no choro.
Na hora da despedida final, após ser eliminado com 45% dos votos, Alexandre abraçou Marcelo, que reiterou:
- Não esquece do meu pedido.
Alexandre bateu no peito e mandou:
- Deixa comigo!

Uma coisa é fato.
Essa edição está um fracasso.
Ninguém na globo sabe o que fazer para aumentar a audiência.
As provas são as mais ridículas de todos os tempos.
Tem até paredão triplo.
Simplificando, UMA MERDA SEM TAMANHO.

O pedido enigmático de Marcelo deixou todo mundo com uma pulguinha atrás da orelha. Qual será o segredo dos 14 confinados?

Flamengo pede para torcida não depredar Engenhão

A preocupação com a possível depredação do Engenhão ameaça a partida entre Flamengo e América, no sábado de Carnaval.
Até mesmo os rubro-negros admitiram não ter controle sobre a torcida.
O clube da Gávea emitiu nota oficial fazendo um apelo ao seu torcedor para preservar a nova casa do Botafogo. Mas, temendo o vandalismo dos rivais, os alvinegros não querem liberar o estádio, alegando não ter garantias de segurança de seu novo patrimônio. 
O presidente Bebeto de Freitas reclamou da falta de informações das autoridades sobre a realização da partida e disparou. "Quem vai se responsabilizar pelo aluguel, quadro móvel e policiamento? Ninguém pediu nada ao Botafogo", disse o dirigente. 
Anteriormente, o jogo havia sido marcado para o Maracanã, no domingo de Carnaval, mas mudou de local e de data atendendo a um pedido da Polícia Militar. A corporação alegou não ter como dar segurança efetiva ao jogo e aos desfile das escolas de samba, na Marquês de Sapucaí. 
Uma reunião vai definir como será o esquema de segurança do jogo, mas Bebeto está receoso com as garantias para preservar o Engenhão. "Nossa vontade é sempre a de colaborar, mas não vamos abrir o nosso estádio se não estiver tudo nos padrões e com as devidas garantias", ameaçou.
No site de relacionamenos Orkut, alguns rubro-negros planejam atos de vandalismo no estádio do Botafogo. Na nota oficial do Flamengo, os dirigentes alertam seus torcedores que se houver depredação quem sofrerá as conseqüências será o próprio clube da Gávea.
"O Flamengo será responsabilizado com perda de mando de campo ou a realização de partidas com portões fechados, sem a presença da torcida, além de responder pelos danos materiais. Assim, muito cuidado. Não vamos dar vantagem aos nossos adversários. Contamos com a sua ajuda", enfatiza a nota do clube.

Essa entra para a série "O Fim está Próximo".
Como que é preciso pedir para não depredarem alguma coia ?!? Imagine seu filho saindo de casa e você ter que dizer a ele:
- Filho, por favor, não deprede nada está bem. Isso é muito feio.
PQP, onde esse mundo vai parar ?!?
Quem depredar tem que ter os dedos cortados, simples.


Cortes no Yahoo

Direto do Blue Bus - O Yahoo anunciou que vai cortar 1,000 e espera ficar mais 'forte'

Será de 1,000 vagas o corte que o Yahoo vai fazer por conta de sua reestruturaçao para enfrentar melhor a concorrência com o Google e sites de rede social.

O movimento já era esperado pelo mercado e foi anunciado ontem pelo CEO Jerry Yang em conference call comentando os resultados financeiros do ultimo trimestre. Algumas estimativas chegaram a referir corte de 2,000 funcionarios.

Yang disse acreditar que as mudanças que estao sendo realizadas vao deixar a companhia "mais forte e mais competitiva".

Essa história de deixar a companhia mais forte só pode ser piada.
Vão cortar porque não tem outra solução, e isso é só o começo da desgraça do Yahoo, lembra muito a guerra entre a Netscape e a Microsoft, quando a gigante entrou no mercado dos browsers.
Alguém lembra do Netscape ?!?

29 de jan de 2008

Jenna Jameson está de volta


Um tempo em Araras

Dia 25, feriado em São Paulo, aproveitei e fui para Araras, interior do estado para ver meus avós e dar uma volta pela cidade.

Cresceu, quem está longe vê que não é a mais a mesma coisa e se assusta, mas a cidade continua com seu charme de interior, ou seja, um lugar paraquem quer paz e tranquilidade.

Será que eu volto ??? Acho que sim !!!

22 de jan de 2008

Counter Strike no Brasil

A EA (Electronic Arts) informou nesta terça-feira (22) que suspendeu as vendas no Brasil dos jogos Counter Strike Source e Counter Strike Antology. A medida foi tomada em função de uma decisão judicial que proibiu a venda e a distribuição dos jogos no país.
A venda dos jogos Counter Strike e EverQuest --que não é comercializado oficialmente no Brasil-- foi proibida em todo território nacional. A decisão, tomada por um juiz da 17ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado de Minas Gerais em outubro, começou a ser cumprida só na última quinta-feira (17), em Goiás, pelo Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor).Em nota, a empresa, distribuidora oficial dos jogos no país, pede que os comerciantes tirem os jogos das prateleiras e os mantenham estocados "até nova instrução".
De acordo com a EA, a medida tem "caráter apenas preventivo", para evitar possíveis problemas com órgãos de defesa do consumidor. Isso porque a empresa não foi citada na ação judicial, proferida pelo juíz Carlos Alberto Simões de Tomaz, e também não foi notificada sobre a proibição.A EA informa que "está adotando todas as medidas legais cabíveis" e que "espera no curto prazo reverter a situação e retomar a comercialização normal dos produtos".
Tanto Counter-Strike quanto Everquest não são novos no mercado. O primeiro é um dos mais populares games da história dos jogos para computador. Surgiu como "filhote" de outro game, o Half-Life, no final da década de 90. Sua trama divide os jogadores em equipes (terroristas X antiterroristas, por exemplo). É preciso eliminar os adversários à bala.
Apesar de ser menos conhecido, Everquest é considerado um clássico. Nos moldes do RPG ("role playing game"), o jogo on-line que se passa num mundo fictício com ares de Idade Média. Uma partida abriga centenas de pessoas de uma vez em disputas quase sem fim. Para o juiz, os jogos "trazem imanentes estímulos à subversão da ordem social, atentando contra o estado democrático e de direito e contra a segurança pública, impondo sua proibição e retirada do mercado".
Diante disso, a Justiça proibiu a distribuição e comercialização de "livros, encartes, revistas, CD-ROM, fitas de videogame (sic) ou computador" desses jogos. A multa para a infração é de R$ 5.000.
Entretanto, como a Justiça não proibiu o uso dos jogos --apenas a comercialização--, as lan houses não estão obrigadas a deletá-los
.
O fim está próximo mais uma vez.
Será que o juiz não tem mais nada para fazer ?

Amy Winehouse: a diva e seus demônios

Ela está apaixonada e no topo das paradas.

Agora, precisa sobreviver a isso tudo.

Direto da Rolling Stone Brasil.

E para variar...

... o Brasil está fora do Oscar.
O filme é ótimo e merecia mas O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias, de Cao Hamburger, não está entre os cinco indicados ao prêmio de melhor filme estrangeiro.
O anúncio dos concorrentes finais aos Oscars que serão entregues em fevereiro, referentes às produções cinematográficas de 2007, acabam de ser anunciados em Hollywood, agora é esperar para ver se realmente teremos a festa de entrega do prêmio.
Estão concorrendo na categoria Melhor Filme Estrangeiro The Counterfeiters, de Stefan Ruzowitzky (Áustria); Beaufort, de Joseph Cedar (Israel); Mongol, de Sergei Bodrov (Cazaquistão); 12, de Nikita Mikhalkov (Rússia); e The Trap, de Srdan Golubovic (Sérvia).

Amy Winehouse

É esperar para ver.

A morte chega lenta e dolorosamente para essa promessa da música mundial. 


A frase da colunista do The Sun resume o fato: "Amy Winehouse is a dead woman walking."

21 de jan de 2008

As 20 fotos mais sexys de 2007



Penthouse


Escolha agora sua favorita.

Portal do SPFW: o que tem de novo?

A São Paulo Fashion Week (SPFW) lançou no último dia 15 seu novo portal, que promete ser muito mais interativo e atrativo para os internautas.
Diferente do que foi apresentado nos anos anteriores, a versão 2008 traz movimento, beleza, tecnologias atuais e é muito mais fashion.

Bom, nada poderia ser pior doque o portal antigo, mas de verdade, não há nenhuma novidade nisso.

Não demorou nadinha, pode espiar


Usar calcinha faz mal à saúde, dizem especialistas

Nos últimos tempos, várias celebridades apareceram em público sem vestir uma peça essencial no vestuário feminino: a calcinha. Juliana Paes, Adriane Galisteu, Flávia Alessandra e Britney Spears, por mais de uma vez, foram flagradas sem nenhuma "proteção" por debaixo de saias e vestidos. 
Mas porque será que elas aboliram a calcinha?
Uma das explicações possíveis é aquele terrível medo de que a peça íntima marque a roupa, e assim, acabe de vez com todo o glamour do visual. Outras mulheres dizem que não a usam devido problemas de saúde.

O ginecologista José Bento afirma que calcinha realmente faz mal à saúde.
Segundo o médico, a calcinha, principalmente as de materiais sintéticos e com forros muito grossos, impedem a ventilação do local e aquecem a região, o que acaba promovendo a proliferação de bactérias e fungos no aparelho genital e, consequentemente, o surgimento de infecções e corrimentos. Há ainda mulheres que são alérgicas a determinados tecidos, o que prejudica ainda mais a saúde do aparelho sexual.
"A saia não foi criada à toa", diz o dr. José Bento apoiando a atitude das famosas. "As mulheres realmente precisam arejar a região genital". Para ele, um hábito saudável é dormir sem calcinha. "Não há vantagem nenhuma em usar calcinha para dormir. Tudo é uma questão de costume".
Além de doenças sexuais, como a candidíase, o uso de determinados tipos de calcinhas podem provocar o aparecimento de varizes e celulite. Isso é o que afirma o ginecologista José Bento. Mas para que esses efeitos aparecerem, o elástico da região da virilha tem que estar muito apertado.

Já a coordenadora do Ambulatório de Sexualidade da Unifesp, a ginecologista Carolina Carvalho, é uma das defensoras do uso da calcinha. "Na minha opinião, essas mulheres que apareceram na mídia sem estarem usando calcinhas querem mesmo é aparecer". Segundo a médica, não há nada provado contra o uso da calcinha, "caso contrário a maioria das mulheres teria problemas".
"A calcinha é uma proteção, sem ela aumentaria muito o risco da mulher contrair uma infecção no local", ressalta Carolina. "Só recomendo ficar sem a peça para dormir. Outra atitude que pode ser tomada é trocá-la mais de uma vez por dia", completa.

Agora você decide se usa ou não. Eu particularmente acho o máximo uma mulher de calcinha, dá mais tesão e mais vontade ainda de tirar.
:-)
:-)
:-)
:-)

Morre Luiz Carlos Tourinho

O ator Luiz Carlos Tourinho morreu às 7h10 desta segunda-feira (21), no Hospital das Clínicas de Niterói, vítima de um aneurisma cerebral. 

Durante a madrugada, Tourinho, 43 anos, passou mal e foi levado ao hospital às 6h45 com parada cardiorrespiratória. O enterro acontecerá ainda nesta segunda-feira, às 17h, no Cemitério Parque da Colina, em Niterói. O ator morava com a mãe, era solteiro e não deixou filhos. Em junho do ano passado, Tourinho foi internado para tratar do aneurisma, dilatação anormal de um vaso sanguíneo.
Tourinho estava trabalhando na novela "Desejo Proibido", onde interpretava Nezinho. Antes, participou de outros seriados da Globo, como "Sob Nova Direção" e "Sai de Baixo".

1 em cada 5 jovens não completou o ensino fundamental.

Reportagem da Folha de São Paulo mostra que um em cada cinco jovens (entre 18 e 29 anos e que vivem em cidades) abandonou a escola antes de completar o ensino fundamental.

Segundo trabalho feito pela Secretaria Geral da Presidência da República com base na Pnad 2006 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE, dos 34 milhões jovens urbanos do país, 7,4 milhões tiveram de um a sete anos de estudo -- período insuficiente para concluir o ciclo -- e 813,2 mil são analfabetos.

No topo da lista de exclusão estão cinco Estados do Nordeste. 
O líder é Alagoas, com 46% dos jovens em uma dessas duas situações. Na outra ponta do ranking está São Paulo, com 15% de exclusão.
"Há 20 anos, quando muitos desses jovens estavam em idade escolar, o sistema de ensino apresentava uma cobertura menor e uma exclusão maior", declara o professor Fernando Tavares Jr., da Universidade Federal de Juiz de Fora, em Minas Gerais. "Por outro lado [há 20 anos], a reprovação e a evasão eram bem maiores. Os dois fatores conjugados produziram uma exclusão educacional maior nessa geração", completa.
Um quadro geral sobre a péssima situação da educação nacional pôde ser visto em dezembro, com os resultados do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos), da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico). Entre 57 nações avaliadas, os alunos brasileiros obtiveram a 53ª posição em matemática, a 52ª em ciências e a 48ª em leitura.

É isso aí minha gente.
O governo prefere dar "Bolsa Família", bolsa da PQP.
Deveria é investir na educação, mas isso não dá voto em eleição.

Somos ou não somos um país de Filhos da Puta ?!?

Lindsay Lohan’s Ass

Não poderia deixar de colocar isso aqui no blog.
Lindsay Lohan pode ser uma doidinha, mas tem suas qualidades.

Para conferir, clique aqui.

Notícia fresquinha


A chuva provocou a falha de sinalização da faixa exclusiva para motos na Avenida 23 de Maio, um dos principais corredores de trânsito de São Paulo, segundo informou nesta segunda-feira (21) o presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego, Roberto Scaringella.

Uma placa indicava que a faixa funcionaria da 0h às 16h. Mas a restrição começa a valer só a partir das 10. “O número um, que era das 10h às 16h, por causa da chuva e da placa do adesivo recente, caiu e está sendo reposto. Só aconteceu em uma placa”, justificou Scaringella. A mudança será informada com a instalação de placas na avenida.

A faixa exclusiva foi implementada às 10h desta segunda (21).  Nesse horário, a via tinha o maior trecho de congestionamento da cidade.

Muito bom, se chover pára tudo, se fizer sol, esquenta muito, se fizer frio, congela.


Faixa para motos causa lentidão na 23 de Maio

Direto da Redação Terra.

Mesmo antes de ser iniciada a fase de testes para instalação de uma faixa exclusiva para motocicletas na avenida 23 de Maio, região central de São Paulo, o trânsito apresentava lentidão de 3,4 km no sentido centro. A faixa foi liberada para motociclistas por volta das 10h15.
Por volta das 9h, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) começou a instalar cones nas faixas as esquerda da avenida. No sentido aeroporto, há 3 km de congestionamento.

A faixa da esquerda da 23 de Maio passará por uma fase de testes entre as 10h desta segunda-feira e as 16h da próxima sexta-feira, 25 de janeiro, aniversário de fundação da cidade de São Paulo.
Diariamente, serão colocados cones das 10h às 16h, nos dois sentidos, entre os viadutos Tutóia e Pedroso, em uma extensão aproximada de 2 km. A partir dessa fase de testes, a CET pode tornar o corredor exclusivo para motos definitivamente.
A data para que isso aconteça ainda não foi definida.

Nem começou e já estragou.
Sem transporte público que funcione não há solução para isso, sem investimento, não há solução para isso, é mais e mais e mais e mais e mais carros nas ruas, motoboys que não respeitam ninguém, autoridades que fecham os olhos para um problema grave, enfim, o caos.

E só uma coisa a dizer: O fim está cada vez mais próximo.

Eu decido o que ver na TV fechada?

Por Márcio Alemão

Querido Márcio, nem na TV fechada e nem na Aberta.

16 de jan de 2008

Privacidade ???

Microsoft cria software para 'espionar' usuários.
Ferramenta poderá monitorar desempenho de funcionários no trabalho.

Sim, isso está no The Times.

A Microsoft está desenvolvendo um novo software no estilo "Big Brother", capaz de monitorar o desempenho dos funcionários no ambiente de trabalho por meio de suas expressões faciais, comportamento e estado de saúde, afirma uma reportagem publicada nesta quarta-feira pelo jornal britânico The Times.
O diário teve acesso ao pedido de patente enviado há um ano e meio pela empresa ao Departamento Americano de Patentes e Marcas Registradas. Segundo o The Times, o documento diz que a ferramenta permitiria aos empregadores acompanhar de perto a produtividade de seus funcionários ao terem acesso a seus "batimentos cardíacos, temperatura corporal, movimentos, expressões faciais, e pressão arterial".
O software "espião" permitiria que sensores sem fio captassem com precisão detalhes como "reações do cérebro, arrepios da pele, respiração e expressões faciais" de funcionários sentados no computador.
Segundo o documento, o objetivo do monitoramento seria "automaticamente detectar frustração ou situações de estresse e oferecer a assistência necessária", escreveu o The Times.
Ao detectar mudanças no metabolismo, o software ligaria as informações a uma base com dados do funcionário, como peso, altura e condições de saúde. Grupos de liberdades civis e advogados ouvidos pelo jornal criticaram a nova ferramenta, argumentando que o software representa uma "invasão em todos os aspectos da vida do funcionário e levanta várias questões sobre quebra de privacidade".
Em comunicado, a Microsoft confirmou ter entrado com pedido de patente para um novo software, mas disse que não é da prática da empresa "fazer comentários sobre patentes em andamento porque podem sofrer alterações ao longo do processo de aprovação pelo Departamento americano de Patentes e Marcas Registradas".
A gigante da informática ainda disse que a notícia publicada pelo The Times se refere a um sistema de monitoramento que "usa a freqüência dos batimentos cardíacos do usuário como exemplo de seu estado de saúde para detectar quando este precisa de ajuda no exercício de suas atividades".
A Microsoft acredita que o pedido de patente deve ser aprovado em três anos e meio.

Só faltava essa agora.

Festival de Cinema de Berlim

Os Rolling Stones vão ao Festival de Cinema de Berlim.

'Shine A Light' estará presente na mostra, esse documentário vai abrir o evento no dia 7 de fevereiro e reune imagens captadas em 2 shows dos Stones em Nova Iorque em 2006, alem de entrevistas, cenas de bastidores e material raro de arquivo.

Está todo mundo na expectativa, principalmente porquê a direção é de Martin Scorsese. Agora é esperar e ver se o filme chega no Brasil.

Se não chegar, que ninguém venha reclamar da pirataria depois.

'Rock band' multiplica espírito rock'n'roll de 'Guitar hero'

Reportagem especial do G1 da Globo.com sobre o jogo que irá revolucionar o gênero.
Imagine jogar com guitarra, microfone e bateria, o sonho de tocar em uma banda nunca estava tão próximo.

15 de jan de 2008

Globo de Ouro - Cinema e Televisão

Ta bom, aqui está a lista completa do "fiasco", ops, Globo de Ouro.

Cinema
MELHOR FILME [DRAMA]
Desejo e Reparação

MELHOR FILME [MUSICAL ou COMÉDIA]
Sweeney Todd - O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet 

MELHOR ATRIZ [DRAMA]
Julie Christie (Longe Dela)

MELHOR ATRIZ [MUSICAL ou COMÉDIA]
Marion Cotillard (La Vie En Rose)

MELHOR ATOR [DRAMA]
Daniel Day-Lewis (There Will Be Blood)

MELHOR ATOR [MUSICAL ou COMÉDIA]
Johnny Depp (Sweeney Todd)

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO
Ratatouille

MELHOR FILME DE L͍NGUA ESTRANGEIRA
O Escafandro e a Borboleta

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Cate Blanchett (I’m Not There)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Javier Bardem (Onde os Fracos não têm Vez)

MELHOR DIRETOR
Julian Schnabel (The O Escafandro e a Borboleta)

MELHOR ROTEIRO
Ethan Coen & Joel Coen (Onde os Fracos não têm Vez)

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
Desejo e Reparação

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Guaranteed” (Into the Wild)


Televisão
MELHOR SÉRIE [DRAMA]
Mad Men

MELHOR SÉRIE [MUSICAL ou COMÉDIA]
Extras

MELHOR ATRIZ [DRAMA]
Glenn Close (Damages)

MELHOR ATRIZ [MUSICAL ou COMÉDIA]
Tina Fey (30 Rock)

MELHOR ATOR [DRAMA]
Jon Hamm (Mad Men)

MELHOR ATOR [MUSICAL ou COMÉDIA]
David Duchovny (Californication)

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME
Longford

MELHOR ATRIZ DE MINISSÉRIE OU FILME
Queen Latifah (Life Support)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME
Samantha Morton (Longford)

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU FILME
Jim Broadbent (Longford)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME
Jeremy Piven (Entourage)

14 de jan de 2008

A arte de puxar tapetes

Na vida corporativa.

Problemas pessoais.

Como não prejudicar o trabalho e preservar o emprego?

Emocionante

Hoje eu fiquei emocionado ao ver a frase que uma amiga aqui do trampo colocou no MSN.
Vejam:

"...eu dou a minha vida pela sua...te amo Vó...vai dar td certo!"

Até me arrepiou quando eu li, só quem teve e e quem ainda tem a sorte de ter (como eu) as pessoas mais importantes de nossas vidas.
e não são para sempre, mas com certeza são a melhor parte da vida de uma pessoa. Não sei o que se passa com a avó dessa minha amiga, e nem seria elegante de minha parte perguntar, mas pela frase, deve ser algo importante.

Hoje não é dia dos Avós mas presto aqui minha homenagem a todos nesse mundo.

Beijos, Neide e Névio, vocês são tudo em minha vida, sexta-feira estou aí para dar um grande beijo em vocês.

Daniella Cicarelli faz exigências na Band

Pronto, nem chegou e já causa... ... ...essa é outra vadia.

Amaury Jr. inventa frase de Galisteu para ter ibope

Por Ricardo Feltrin, colunista do UOL News.

Num expediente raro - e absolutamente condenável - da TV, a produção do "Programa Amaury Jr.", exibido pela Rede TV, divulgou, ou melhor, inventou na semana passada que Adriane Galisteu teria feito críticas ao SBT e a Silvio Santos.
Entre as frases divulgadas pela produção de Amaury, distribuídas a toda imprensa por e-mail dias antes de o programa ir ao ar, estava a declaração de Galisteu "Sou a telefonista mais bem paga do SBT" - uma alusão crítica ao fato de que, em seu programa, "Charme", ela nada mais faz que atender às ligações de telespectadores.
O resultado da "crítica" foi imediato: virou capa de revistas, manchete de sites de celebridades e teria rendido até uma ameaça de punição profissional a Galisteu.
Quem assistiu ao programa (que foi reprisado ontem) só agora soube a verdade: Galisteu
jamais disse nada parecido. Quem pronuncia a frase "Dizem por aí (...) que você é a telefonista mais cara do SBT..." é o próprio Amaury Jr! Ao ouvir a ironia, Galisteu nada mais faz do que sorrir nervosa e declarar que "gosta de trabalhar".
Para se ter uma idéia do dano que a invenção causou: numa rápida busca pela internet, há quase 400 sites ou blogs em que a frase nunca dita por Galisteu está colocada em "aspas", na sua boca.
A assessoria de Galisteu considerou a atitude "uma sacanagem".
Procurado por
Ooops!, o diretor do programa "Amaury Jr.", Leandro Sawaya, disse que entraria em contato com a assessoria do apresentador, responsável pela divulgação do release do programa

É minha gente, essa é mais uma da série O Fim se Aproxima. Um Absurdo.

AVN Awards

Sem Globo de Ouro

Sem Globo de Ouro, as atenções se voltaram para a festa da indústria pornô amerciana.
O AVN foi disputado e glamuroso. Estrelas como Jenna Jameson, Tera Patrick, Jenna Haze, Stormy Daniels, Monique Alexandre, Belladonna, Charmaine Star, Sasha Grey, Justine Joli, Mary Carey, Sunny Luv, Rebecca Linares e muitas outras mercaram presença. Tem bastante fotos por aí, mas as melhores estão aqui.

Mas o que é isso ?!?



Globo de Ouro

Não sei se teremos Oscar esse ano.
O Globo de Ouro já foi, sem festa, sem TV, sem celebridades, sem porra nenhuma. Apenas um anuncio e mais nada.

11 de jan de 2008

A fila anda ???

Jaqueline já namorou o grego de Íris, diz jornal.

A modelo paulistana Jaqueline, participante do BBB8 já namorou o empresário grego Stravos Stilianos, ex-affair de Íris Stefanelli, informou a coluna Zapping do jornal Agora.
Segundo a publicação, com Jaqueline também foi um namoro relâmpago.

Atualmente, Íris namora o empresário Thiago Kückelhaus, de Goiânia.



Turma, não é a fila que anda e sim a PUTARIA que não termina.

Conselho julga rodízio ilegal e anula multas após recurso

Direto da Folha de S. Paulo

Conselho Estadual de Trânsito de São Paulo tem anulado as multas por desrespeito ao rodízio municipal de veículos.
O órgão é responsável por julgar os recursos apresentados por motoristas em segunda instância.
As multas são canceladas porque a maioria dos conselheiros as considera ilegais por não haver placas indicativas da área de restrição nas vias públicas do centro expandido, onde a medida vigora desde 1997.
O Cetran passou a adotar essa posição há seis meses, provocando grande preocupação por parte do representante do DSV (Departamento de Operação do Sistema Viário) no conselho, Antonio Carlos Therezo Mattos, para quem ela poderá inviabilizar a existência do rodízio na cidade de São Paulo.
Numa carta endereçada à cúpula do trânsito da gestão Gilberto Kassab (DEM) no final de setembro de 2007, Mattos relatou que todas as multas têm sido anuladas em segunda instância, independentemente do argumento utilizado pelo motorista infrator no recurso.
As multas por descumprimento ao rodízio mais que triplicaram desde 2004, depois da implantação de radares com leitura automática das placas. O rodízio municipal de veículos volta a vigorar na cidade de São Paulo nesta segunda-feira, dia 14.O motorista tem que entrar com recurso no Cetran até 30 dias depois de ter sua defesa respondida pela primeira instância. O conselho costuma indeferir todos os recursos intempestivos, ou seja, de quem foi multado e não entrou com recurso no prazo fixado pela legislação.

Mais uma da série O Fim está Próximo.
A putaria continua nesse país de filhos da puta.

Nem sou fã dessa banda mas... ... ...

Para o Radiohead, país é prioridade em 2008

AVN 2008

As melhores cheerleaders


10 de jan de 2008

Martin Scorsese

Por favor, leiam a entrevista desse homem.

Tivemos um lampejo das últimas quatro décadas do cinema este ano, quando seus amigos George Lucas, Steven Spielberg e Francis Ford Coppola lhe entregaram seu primeiro Oscar de direção (por Os Infiltrados). Por acaso aquele momento trouxe de volta memórias dos anos 60, quando todos vocês começaram?

Naquela época, estávamos tomados pela obsessão de fazer filmes. Sabíamos que o esquema antigo de Hollywood estava acabado, então pensamos que podíamos abrir brechas de algum jeito. O Francis já estava no esquema – ele foi o irmão mais velho. O Steven era amigo do George, e o George estava trabalhando com o Francis, começando. Mais tarde, vi que meus filmes não foram bem aceitos pelo público como os de Steven, Francis ou George, mas tive de aprender a viver com isso. Eu pensava: “Tudo bem, ainda vou fazer filmes assim”. Às vezes, meus filmes são difíceis de aceitar, por causa da violência, do sangue. Mas como um amigo meu me disse, uma vez: “O que você queria? Você pega pesado com os espectadores, por que eles deveriam gostar de você?” Tive sorte de receber o Oscar agora. Ainda bem que não ganhei nos anos 70. Acho que eu não era forte o suficiente.

O que o Oscar teria causado em você?
Provavelmente, teria mudado o meu jeito de pensar. Eu não estava pronto como pessoa, na época. Vêm o orgulho, a insolência, a queda. Em que eu poderia me apoiar? Os filmes em si é que eram o motivo da minha alegria, eram a parte louca da coisa. Era esse o objetivo – e não o ato de ser premiado.

Qual é a lembrança mais positiva que tem dos anos 60?
A música era excelente. Comecei a ouvir diferentes tipos de música. No começo da década de 1960, era a música pop, e tudo mudou quando vieram os britânicos. Os Beatles transformaram a música pop em arte, depois foram os Rolling Stones. É como eu disse no documentário sobre o Bob Dylan: a primeira música que ouvi do Dylan foi “Like a Rolling Stone”, porque a ouvi na parada do Top 40. Eu não ouvia “Gates of Eden”, não tinha comprado os álbuns folk. O Bob estava tocando no Gerde’s Folk City [no Greenwich Village, em Nova York], e estávamos na Greene Street, bem na esquina, na escola de cinema, mas nunca fomos lá ver. Passamos bem em frente. O único motivo pelo qual eu faço esses documentários sobre música é porque quero saber mais a respeito. Filmar um show dos Rolling Stones – estou fazendo isso agora – é como usar drogas. Preciso disso.

Você disse uma vez que a música lhe dá as imagens para os filmes. Ainda é assim?
Totalmente. Mas quase sempre é a música mais antiga. Para Os Infiltrados, Robbie Robertson [ex-líder do extinto grupo The Band e responsável pela trilha sonora de Os Infiltrados] me mandou “I’m Shipping Up to Boston” – eu normalmente não escuto Dropkick Murphys. Pedi uma lista de tudo que ele tivesse na jukebox, de Patsy Cline a Nas.
Quando seu filme de estréia, Caminhos Perigosos, saiu, em 1973, com o Harvey Keitel interpretando uma espécie de “versão sua”, você disse que foi uma tentativa de mostrar como era crescer no (bairro) Little Italy. Mas não havia também a intenção de se mostrar o rock’n’roll que você ouvia nos bares e cortiços?Eu me lembro da cena da briga no bilhar, ao som de “Please Mr. Postman”, das Marvelettes. O som é mesmo de bandas de mulheres, as Ronettes com “Be My Baby”, as Shirelles, Phil Spector. Fantástico. Se você ouvir a trilha, verá que é toda norte-americana.Também tem “Jumpin’ Jack Flash”.Pusemos os Rolling Stones, sim, e também teve “Tell Me”, mas é com bases de blues. Esse é o segredo. Também tem [Eric] Clapton. O lance era, repito, a guitarra bluseira. Sou obcecado por guitarras, pode ver ali [aponta para uma guitarra encostada na parede, em frente à sua estatueta do Oscar]. Aquela ali é de O Último Concerto de Rock [The Last Waltz, documentário sobre o show de despedida do The Band, filmado por Scorsese]. Foi o Robbie que me deu.

Quais são as memórias que a música resgata em você?
Ela se torna parte da transformação química que acontece com a gente o tempo todo. Mesmo quando freqüentei o Washington Square College, na Universidade de Nova York, mesmo no departamento de cinema, era um menino que vinha de um território de sicilianos ítalo-americanos.
Cheguei com toda essa carga nos anos 60. Aquilo que chamaram de a “liberdade de expressão da década de 1960” foi uma enorme mudança para mim. Em 1965, já via as coisas de outra forma, do ponto de vista político.

Que outra forma?
Os protestos contra a Guerra do Vietnã. As pessoas da minha origem eram pró-Guerra do Vietnã. Meus amigos mais próximos eram pró-Vietnã.
Quando você rodou o curta The Big Shave, em 1967, protestou contra a Guerra do Vietnã mostrando um jovem que se barbeia em frente ao espelho, que se corta até ficar todo ensangüentado...
Isso mesmo. Houve um protesto de cineastas, em Nova York, chamado Semana das Artes em Fúria, contra a Guerra do Vietnã. Fiz esse curta tendo o protesto em mente. Àquela altura, eu já não tinha quase nada a ver com as pessoas do meu próprio bairro. Eu estava na diáspora, com gente nova, novas formas de pensar.
Eles diziam: “Você nos desertou”.
É. Houve ressentimento. Quando viram Caminhos Perigosos, também ficaram ressentidos.
Em Taxi Driver, você faz o personagem de Robert De Niro, Travis Bickle, representar o horror do Vietnã. O que fez as coisas mudarem?
Mais ou menos em 1965, fui à missa do bairro, em um domingo, e ouvi o padre descrever a Guerra do Vietnã como uma guerra santa. Foi quando me desliguei daquilo tudo. Algo me disse que o padre estava absolutamente errado.

Isso fez você se sentir parte do movimento estudantil de protesto?
Fez, sim. Pra ser bem honesto, estabeleci um limite para mim, para evitar o ativismo totalitário. Tinha o [movimento] Weathermen, um monte de outros grupos secretos. A violência era o melhor jeito de mudar a situação? Não achei que deveria me meter com aquilo, porque não confiava naquilo. Não confiava na ideologia cega. Muito daquilo era um extravasamento da energia dos jovens, eram brigas de rua. Até certo ponto, quanto daquilo estava sendo feito pelo país? Quanto era feito pela ideologia? Quanto correspondia a uma visão romantizada?

Então, foram os anos 60 que transformaram você em um jovem raivoso?
Não, a raiva rolava o tempo todo. Desde a infância. Eu tinha asma. Ficava muito bravo quando não conseguia respirar [risos]. Sempre penso: “E se eu não tivesse sido colocado num quartinho escuro aos 3 anos e depois numa cabine com um inalador, e tivesse podido correr, brincar e rir o quanto quisesse? E se tivesse nascido em outra família e lido livros e entendido que, como fez o Theodore Roosevelt, era possível combater a asma?” Mas eu não sabia. Conseqüentemente, isso estreitou minha gama de possibilidades. Tudo tinha que ser feito em casa, enquanto os garotos jogavam taco na rua.

Você era o...
O rejeitado. Tudo o que eu sabia de esportes é que era possível apostar neles. O cinema era tudo pra mim. Eu devia ter 5 anos quando comecei a desenhar cenas que se tornaram meus filmes secretos. Era um bairro barra pesada. Meu pai era ótimo, mas ele ficava nervoso porque eu era o menino doentinho que ficava num quarto desenhando coisas.

Uma vez você disse que a política não foi grande coisa para você na infância, porque o governo era feito de gângsteres e padres.
É. E meu pai siciliano, é claro. A autoridade era meu pai, que respondia ao pai dele, ali no mesmo quarteirão. Sempre se discutiam as possibilidades de circulação num universo que era cheio de trapaceiros. A autoridade maior era a família.

Até mais do que a máfia?
Meus pais tinham de lidar com o fator crime porque eles não teriam como viver de outra maneira. Meus avós nem se tornaram cidadãos, não confiavam em ninguém. Não tive a educação adequada para pensar que poderia me tornar qualquer coisa que não fosse padre, por exemplo. Eu não servia para a máfia.

O que era necessário para se tornar um mafioso?
Um coração de pedra. Você vai machucar as pessoas.

Foi nessa época que você começou a pensar em se tornar padre?
Eu cheguei a freqüentar a escola preparatória do seminário por mais ou menos um ano, mas me pediram para sair. Comecei a perceber o sexo. E o rock’n’ roll também me distraia: Elvis, Little Richard. Depois disso veio o colegial, na [escola católica] Cardinal Hayes, no Bronx. Havia um jovem padre no colégio, ele nos deu livros, nos disse para ver alguns filmes, nos mandou pensar.

Quando você vê a situação atual, com o Bush no Iraque, o que você pensa?
É uma outra abordagem agora. Quando a situação vietnamita começou, no início dos anos 60, houve resistência a ela de imediato, houve questionamento. Agora, não. O homem foi eleito pela segunda vez. A coisa vai além da sátira. Outro dia estava passando o filme Bananas, do Woody Allen. E a mulher que interpreta a miss Estados Unidos diz: “Sou contra o sr. Mellish [personagem de Allen], porque ele discordou do presidente, e é aceitável discordar nos Estados Unidos, mas se você discorda demais, não é bom para o país”. Isso numa comédia de 1971. Hoje, os congressistas falam isso sério. É obsceno.

Como você reage a essa obscenidade?
Veja em Os Infiltrados, essa é minha reação. O personagem Billy, Leo DiCaprio, toma os remédios da mãe e bebe o tempo todo, está numa situação horrível, se disfarçando de gângster. Ele é um condenado desde o princípio, aceita essa situação impossível, como se fosse um garoto se alistando no exército e indo pra guerra, e, duas semanas mais tarde, levando um tiro. “O que eu fiz? Como eu saio dessa?” Não sai. Nem se trata de uma guerra declarada, é uma guerra eterna, o bem e o mal. Em termos de sociedade, você tem a polícia, os gângsteres, os juízes – corruptos, todos corruptos. O fim de Os Infiltrados é um “marco zero” moral. É como a devastação do 11 de setembro: alguma coisa foi completamente eliminada, e a única coisa que podemos fazer é erguer tudo de novo, com uma nova geração.

Você vê alguma figura em quem podemos confiar para nos tirar desta sensação de desconsolo?
É difícil acreditar em uma pessoa. Tanta coisa é escondida da gente, o que acontece em Bagdá, em Basra. Os políticos sempre têm medo de dizer as coisas, o jeito que a mídia está. Imagine se os presidentes anteriores que consideramos ótimos fossem examinados desse jeito. Não sobraria ninguém.

Hoje, a gente ouve os políticos dizerem sempre que “precisamos seguir em frente”.
Em frente como? Em direção ao precipício. Fomos devorados pelo conforto dos produtos feitos para consumo. Também tem a questão do que os cacarecos tecnológicos fazem por você. Não me dou muito bem com telefones celulares – é por isso que os celulares funcionam como armas em Os Infiltrados. Não uso computador. Tenho, sim, TV paga, mas para ver filmes. O resto do que tem na televisão hoje é feito para chamar sua atenção constantemente, para te entupir. Enfiam informação em você, e você fica amortecido. As imagens e o cinema se tornam parte de um mundo cheio de imagens podres, uma sociedade de imagens podres. Você não sente nada a respeito de nada, e isso significa que você não vai querer fazer nada.

Mais um golpe mortal no ativismo?
Sim. O que aconteceu, e todo mundo sabe disso, foi a insensibilização. Não é tanta história assim que nos separa das execuções públicas aqui em Nova York. Agora vemos os enforcamentos no Iraque. Não temos pra onde nos direcionar, exceto para a realidade disso. Também há acusações aos meus filmes, de que toda vez que faço algo violento, a coisa avança.

E como você responde a essas acusações?
Estava conversando sobre isso com o González Iñárritu, o diretor mexicano que fez Babel e Amores Perros, de que gosto muito. Discutíamos a violência em nossos filmes e o que ela significa neles. Ele disse: “Viemos de culturas em que a violência é séria, não é um jogo”. É daí que viemos. Quando rodei Cassino – com Las Vegas e os jogadores –, tem um momento em que um homem põe a chave na ignição do carro e o carro explode. Aquisição. Ter mais e mais e mais, até que nada seja suficiente, até que simplesmente exploda, até que a sociedade inteira exploda. Vejo as coisas assim, transbordando ira, mas de um jeito moderado agora, para que isso não me corroa. A ira não é uma coisa boa – é um dos sete pecados capitais, certo?

Assim como a preguiça – não fazer nada.
Num dado momento, eu disse para alguns estudantes de cinema: “Acho que é necessário sentir ira”, mas acho que o que eu quis dizer foi que eles têm de estar a fim de fazer o trabalho.
Você não acha que muitos jovens sentem que não conseguem lutar contra o governo?
Mas você tem de lutar. É preciso.
O que falta se você comparar seus dias de estudante ativista e hoje?
Idealismo. É disso que sinto falta quando penso nos anos 60, talvez também porque eu era jovem. Existia o idealismo que realmente transformava as coisas, existia ação por parte das pessoas – certamente não em todas as frentes – mas havia ação. Enquanto eu ouvia a igreja falar em guerras santas, esses idealistas estavam falando de empatia, de se pôr no lugar do outro.

Como podemos recuperar essa empatia?
Ao entendermos que ataques terroristas não acontecem do nada. Sempre existe causa e conseqüência. Por que não lidamos com as causas, em vez de ficarmos sempre chocados com os horrores que estão acontecendo e continuarão acontecendo? Gosto de estudar história, e li sobre como as civilizações começaram a desmoronar, como os romanos lidaram com as tribos bárbaras. Tem de haver outra forma de lidar com isso que não seja o envio de meninos e meninas para a guerra. Use sua cabeça, como aquele jovem padre nos disse no colegial. Uma vez, ele falou: “Vocês, meninos, não ouvem. Quando planejam um roubo, vão acabar em tiroteio, vão disparar armas – esse é o problema. Pensem!” Nunca me esqueci disso. Foi isso que fizemos com o mundo.
Não pensamos.
Saímos atirando.