14 de ago de 2008

Conte até três. Até dez. Conte até cem.

13 de agosto de 2008, 22:43 - direto do Webinsider.

Em situações extremas, mesmo que você tenha frieza, seu emocional fala mais alto, preparando-o para as duas atitudes limites possíveis frente ao perigo: lutar ou correr.

Por Eduardo Zugaib

Cena 1: alguém resolve tirar um sarro de você em uma festa, constrangendo-o e ultrapassando a tênue linha que separa o engraçado do ridículo;

Cena 2: numa reunião da empresa, ao apresentar informações que custaram a ser levantadas, alguém entra na conversa e maldosamente diminui a importância do seu trabalho;

Cena 3: Você está dirigindo. O trânsito pára. Você, que guarda certa distância do carro da frente, freia tranqüilamente. Antes do carro parar totalmente, surge um barulho de pneu queimando logo atrás, dando tempo apenas para você olhar no retrovisor, fechar os olhos e preparar-se para a… cabrum!

Mesmo que você tenha a frieza de um campeão mundial de xadrez, ao menos uma taquicardia você sente. Seu emocional fala mais alto, preparando-o para as duas atitudes limites possíveis frente ao perigo: lutar ou correr.

Em situações assim, é provável aparecer alguém sugerindo que você conte até dez. Acredite: isso não é uma simpatia, uma crendice tola. O nosso cérebro possui dois hemisférios: o direito, que abriga nossa capacidade emocional e o esquerdo, que cuida da racional. Em situações de tensão, a tendência que temos de agir com a emoção é grande.

Sobrecarregamos o lado direito do nosso cérebro, exigindo dele respostas rápidas demais. Como ele é obediente, fará de tudo para dar a resposta, trabalhando caoticamente, sem se preocupar se com isso estará acionando nossos desejos mais obscuros, nossas mais paixões mais animais.

O resultado? Falamos o que não gostaríamos de ter dito, reagimos expondo nossas fragilidades, isso quando não partimos para agressões verbais ou físicas. Crimes passionais não levam este nome à toa. O contar até dez visa reestabelecer o equilíbrio entre os dois lados do cérebro, lembrando ao hemisfério esquerdo que ele também deve “entrar no assunto”.

Contar é uma capacidade racional, que figura entre as habilidades do lado esquerdo do cérebro. Em situações tensas, o contar age como um sistema de resfriamento, que nos ajuda a perceber a situação por uma ótica mais completa. Se contar até dez não resolve, experimente até cem. Assim, além de dar ao cérebro a chance de trabalhar por completo, você evita que todos os alguém acima saiam por aí, dizendo que você perdeu a cabeça.

Nenhum comentário: