20 de fev de 2008

Reunião da ONU discute uso de insetos como alimento para países pobres

Alternativa pode resolver problema da fome em nações menos desenvolvidas - Do G1, em São Paulo
Que tal um espetinho de larva no almoço?
Já pensou em comer um gafanhoto?
E um besouro?
Que tal formigas ou abelhas?

Tudo bem, isso pode não ser exatamente o que dá água na boca na maioria das pessoas, mas é exatamente o que pode resolver o problema da fome em países mais pobres. É exatamente esse assunto que está sendo discutido durante uma reunião da Organização para Comida e Agricultura (FAO, na sigla em inglês) das Nações Unidas, na Tailândia.Apesar de nojentinhos, alguns insetos apresentam tanta proteína quanto um belo bife ou pescado. Em forma de larva, muitos são ricos em gorduras, vitaminas e minerais. E em muitos países o hábito não é apenas comum, como apreciado. Segundo dados da FAO, 527 diferentes tipos de insetos servem como alimento em 36 países da África, 29 da Ásia e 23 das Américas. Os tailandeses, por exemplo, apreciam nada menos que 200 diferentes tipos de insetos -- e um passeio pelas ruas do país mostra que ambulantes vendendo os bichos como petiscos são algo para lá de comum.
Na reunião, a agência da ONU vai discutir as possibilidades comerciais e nutritivas do consumo em larga escala dos insetos.
Mais uma da série O Fim está Próximo.
Realmente não sei onde vamos parar, tudo bem que em alguns países é até tradição comer isso, mas imagine fazer isso aqui no Brasil, país famoso por desperdiçar comida.
Não ia dar certo.
Sem mais palavras, fica só o pensamento.

Nenhum comentário: